NOSSAS REDES SOCIAIS -

Curso Básico de Reparação – 8 (CUR4008)

Pontos de Análise

A partir dos sintomas que são dados na parte final deste livro, o leitor pode ir diretamente para os pontos de análise que agora relacionamos e que são válidos para uma grande quantidade de aparelhos eletrônicos.

Junto com cada ponto apresentamos os números dos itens que devem ser consultados caso o leito necessite de mais informações.

 

 

 

É claro que, como nos outros casos, existem exceções para a análise que são dadas em função de configurações menos comuns dos aparelhos analisados. No entanto, usando um pouco de esperteza e habilidade o leitor certamente encontrará as alternativas que cada caso pode exigir.

 

(67) NÃO DÁ SINAL ALGUM QUANDO LIGAMOS

Para o caso de receptores de rádio, aparelhos de som, walkmans, etc., não ouvimos estalido algum no alto-falante ou fone (tump!). Para o caso de televisores, monitores de vídeo, etc., o cinescópio não acende e não há sinal no alto-falante (se possuir). Nos aparelhos que possuam indicadores luminosos como LEDs ou lâmpadas, eles não acendem.

Este é um problema típico de alimentação que nos leva às seguintes possibilidades:

 

a) Se alimentado por pilhas ou bateria, verifique:

* Estado das pilhas (12)

* Sujeira (3)

* Contatos do suporte de pilhas (13)

* Estado da bateria recarregável, se usar (14)

* Interruptor geral (17)

* Curto-circuito na alimentação (28)

* Meça a tensão na saída do suporte de pilhas e em pontos de alimentação da placa de circuito impresso (56)

* Verifique o alto-falante ou fone (se usar este componente) (5)

* Teste o transformador de saída (se usar) ou os transistores de saída (53) e (49)

 

b) Alimentado pela rede de energia (110/117/127 ou 220 V)

* Verifique o cabo de alimentação (9)

* Meça a tensão no final do cabo ou entrada do aparelho (56)

* Verifique o fusível (15)

* Verifique se há tensão no secundário do transformador de alimentação, se usar (30) e (56)

* Verifique se há tensão contínua depois dos diodos da fonte (20) e (56)

* Verifique o estado do capacitor da fonte de alimentação (41)

* Meça a tensão na saída da fonte de alimentação (transistor ou circuito integrado) (56) e (49)

* Veja se existe tensão nos diversos pontos da placa de circuito impresso (56) e (26)

* Procure curto-circuitos no radiador dos transistores de saída ou fonte, se usar (38)

 

c) Alimentado por 12 V de bateria de carro:

* Verifique o fusível de entrada (15)

* Verifique os cabos de entrada (9)

* Meça a tensão na entrada do circuito do aparelho (56)

* Verifique o interruptor geral (17)

* Se for aparelho de som, veja se não existem problemas no alto falante (10) e também em sua conexão (21)

* Verifique os transistores de saída (49) ou o circuito integrado (50).

* Veja se não existe curto-circuito no radiador de calor (38)

 

d) Alimentado por conversor de 110/220 V para baixa tensão DC:

* Meça a tensão na saída do conversor (56)

* Verifique a continuidade do cabo de entrada do conversor se não houver tensão em sua saída (9)

* Verifique o fusível (se houver) e se não encontrar tensão na saída (15)

* Verifique o transformador, se não houver tensão na saída (30)

* Teste os diodos (20) e meça a tensão depois dos diodos (56)

* Verifique os capacitores de filtro (41)

* Teste o cabo de saída da fonte (11)

* Teste o conector de entrada do aparelho alimentado se houver tensão na saída da fonte e ele não funcionar (1)

 

 

Outros itens a serem testados e verificados quando existirem:

* Fonte de alimentação (58)

* Resistores (31)

* Capacitores diversos (42)

* Varistores ou VDRs (43)

* Chaves de tensão (44)

* SCRs (51)

* Jaques e plugues (22) e (23)

 

 

(68) O FUSÍVEL QUEIMA CONTINUAMENTE

Este é um problema que nos faz suspeitar da existência de curto-circuitos ou então excesso de consumo por deficiência de alguma etapa ou componente. Faça as seguintes verificações:

* Se existe algum componente que aquece demais como, por exemplo, transistores de saída, circuitos integrados ou ainda transformadores. Cheiro de queimado também deve ser procurado. (28)

* Faça os testes do item (b) do defeito (67)

* Se for aparelho de som verifique se existe curto-circuito no cabo de ligação ao alto-falante ou caixa acústica (10).

* Procure também curto-circuitos entre os transistores de potência e os radiadores de calor ou entre os circuitos integrados e os radiadores de calor (28).

* Verifique diodos e capacitores da fonte de alimentação (20) e (41).

* Veja se a chave de tensão está na posição correta (ligada em 110 V quando a rede é de 220 V) - (44)

* Alguns aparelhos possuem fusíveis de valores diferentes quando usados na rede de 110 V ou 220 V. Se o fusível foi trocado recentemente, certifique-se de que está de acordo com o exigido pelo fabricante.

 

 

(69) DÁ SINAL QUANDO LIGADO, MAS NÃO FUNCIONA

Meça a tensão na saída da fonte (56). Se estiver normal, então o problema não é de alimentação. se estiver anormal, procure os defeitos de acordo com o item (67).

Para tensão normal na saída da fonte proceda da seguinte forma:

* Se for aparelho de rádio ou som, use o injetor de sinais ou o seguidor de sinais até chegar à etapa defeituosa (54) ou (55).

* Meça tensões nas diversas etapas para verificar se todas estão recebendo alimentação (56).

* Verifique visualmente se existem componentes com sinal de queima ou sobreaquecimento. Se encontrar algum, procure curtos em suas ligações ou faça o teste do próprio componente e componentes adjacentes. Um capacitor em curto pode fazer aquecer um transistor próximo ou transformador.

Isolando a etapa correspondente ao problema, veja em que item se enquadra o diagnóstico conforme os componente suspeitos.

 

 

(70) NÃO FUNCIONA EM DETERMINADAS FUNÇÕES

Se for rádio AM/FM e funciona apenas numa faixa; se for rádio com gravador funciona apenas numa das funções; se for um rádio com toca-discos ou CD-player funciona apenas uma das funções.

Neste caso, o defeito caracteriza um problema da etapa ou função defeituosa que deve ser isolada. Proceda do seguinte modo:

* Verifique se o setor que não funciona recebe alimentação, isso com a chave seletora na posição correspondente. Meça tensões nas etapas da função segundo explicado nos itens (17) e (56).

* Use, se possível, o injetor ou o seguidor de sinais apenas nas etapas do setor inoperante, procurando isolar a que apresenta o problema (54) e (55).

* Se o fusível queimar ou houver um desgaste muito rápido das pilhas ou bateria na função inoperante, faça a busca de um eventual curto-circuito em componentes desta função (28).

* Se a função tiver elementos como motores, relés, solenóides, etc. faça o teste destes componentes (27), (29) e (37).

* Se houver a presença de chiado na função inoperante, verifique conforme o item (71).

* Se houver roncos de AC veja o item (72).

 

(71) PRESENÇA DE CHIADO

Se for aparelho de rádio, receiver, walkman, intercomunicador sem fio (via rádio ou via rede) e apresentar um leve chiado no alto-falante ou fone quando ligado, mas não captar nada verifique:

* Etapas de RF - oscilador e misturador, aplicando sinal de um injetor (54). O sinal do injetor deve sair no alto-falante depois de aplicado à primeira etapa de FI para caracterizar um problema do misturador ou oscilador.

* Verifique o transistor oscilador (49).

* Verifique se o detector está em ordem; se o sinal do injetor estiver presente até ele (54).

* Se o sinal do injetor passar por todas as etapas verifique os ajustes. (60) a (64) conforme o circuito.

* Verifique as etapas amplificadoras de FI (53)

 

Para aparelhos de som:

* Faça o teste de injeção de sinais, aplicando-o nas entradas das diversas etapas (55).

* Verifique fonocaptores, cabeças de gravação ou microfones (40).

* Verifique os cabos de entrada dos sinais (10).

 

 

(72) RONCO DE CORRENTE ALTERNADA

O ronco de corrente alternada (rede de energia) pode manifestar-se em três condições diferentes e que devem ser verificadas:

a) Logo que o aparelho é ligado

b) Quando colocamos o dedo na entrada de áudio

c) Quando conectamos na entrada do aparelho uma fonte de sinal (microfone, toca-discos, CD-player, captador de instrumento musical, etc.).

 

Este tipo de problema pode manifestar-se em todos os tipos de aparelhos que possuam etapas amplificadoras de áudio como: rádios, amplificadores, gravadores, mixers, CD-players, amplificadores multimídia, intercomunicadores, câmeras de vídeo, transmissores, etc.

Analisemos os diversos casos para que o leitor possa determinar em qual o problema de seu equipamento se enquadra:

 

a) A causa inicial a ser analisada é a fonte de alimentação ou blindagem dos cabos de sinal. Verifique:

* Se existe algum capacitor eletrolítico aberto na fonte de alimentação (41).

* Se existem capacitores de filtragem ou desacoplamento do circuito em condições deficientes (abertos) - (41) ou (42).

* Se existem alguma blindagem deficiente em cabos de sinal (10) ou em conectores como o jaque ou plugue de entrada de sinais (22) e (23).

 

b) O ronco só ocorre quando encostamos o dedo no fio de entrada (jaque), mas não há funcionamento normal na função selecionada. Você deve verificar:

* O cabo de entrada de sinal (10) e (16).

* A fonte de sinal, se for outro aparelho como microfone, fonocaptor, mixers, gravadores, etc. (45), (40) e (36).

 

c) O ronco só aparece quando ligamos na entrada do aparelho uma fonte de sinal como um microfone, toca-discos, mixer, etc. O problema pode indicar deficiência de blindagem do cabo de passagem do sinal de um para outro aparelho. Verifique.

* Se a blindagem do cabo de entrada está em ordem bem presa ao conector. Verifique os itens (10) e (16)

* O próprio transdutor ou equipamento que serve de fonte de sinal que pode ter fios internos soltos, blindagem deficiente ou problemas de curto do fio de sinal com a caixa, carcaça ou outro ponto por onde o ronco pode entrar.

 

 

(73) AS PILHAS DURAM POUCO

Evidentemente, este problema só pode ocorrer em aparelhos que sejam alimentados por pilhas como gravadores, rádios, CD - players, walkman, brinquedos, etc.

Lembramos antes que a durabilidade das pilhas num aparelho qualquer que reproduza sons e que tenha fones e alto-falantes depende do volume com que o aparelho é normalmente usado: num rádio ou gravador que funcione com o volume máximo as pilhas durarão muito menos do que naqueles em que o volume seja usado num ponto mais moderado. O consumo ‚ proporcional a potência de saída.

No entanto, exceções são os CD - players que têm um consumo elevado sob quaisquer condições dado sistema mecânico e óptico de leitura que exige uma boa corrente.

Também é importante observar que a duração também depende do tipo de pilhas usado e nos aparelhos de alto consumo como CD - players é sempre importante usar pilhas alcalinas em lugar das comuns.

No entanto, se o consumo for anormal, mesmo com as pilhas recomendadas quando comparados àquele que o fabricante especifica, devemos verificar:

* Existência de curto-circuitos na alimentação (67) e (68)

* Estado dos transistores de saída ou do circuito integrado de saída (49) - faça um teste de fugas nestes componentes.

* Aquecimento anormal de algum componente - verifique se os componentes de polarização de transistores de saída estão alterados.

 

 

(74) RUÍDO DE BARCO (motor boating)

Ao ligar o aparelho que possua alto-falante ou fone, ele emite um ruído semelhante ao de um barco a motor, lancha ou moto. Em inglês o termo usado para designar este problema é "motor boating".

Este problema é normalmente devido a oscilação provocada por um desacoplamento deficiente da fonte de alimentação, ou devido a alta resistência interna da fonte e ocorre normalmente com rádios, gravadores e outros aparelhos de som alimentados por pilhas quando as pilhas enfraquecem ou ainda apresentam um problema de contacto em seu suporte.

Outra possibilidade é um contato deficiente do interruptor geral (liga/desliga) que pode estar oxidado.

* Verifique em primeiro lugar as pilhas, testando-as (12)

* Ligue em paralelo com as pilhas (suporte) um capacitor eletrolítico de 220 uF a 1 000 uF depois do interruptor geral. Se o problema desaparecer ele pode significar que o eletrolítico do aparelho é insuficiente para a filtragem ou que as pilhas estão realmente fracas.

* Verifique o estado do interruptor geral que pode estar apresentando alguma resistência quando ligado (17).

* Teste o capacitor ou capacitores de acoplamento das diversas etapas de áudio do aparelho, principalmente a etapa de potência ou saída (41).

* Verifique o circuito de realimentação negativa se for rádio ou amplificador (53).

* Verifique se o controle de volume está em ordem, devidamente aterrado (32) e (52).

 

 

(75) DEFEITOS INTERMITENTES

Os defeitos intermitentes são os mais difíceis de encontrar pois só ocorrem em determinados instantes quando o aparelho está funcionando e nem sempre dá tempo de chegar a sua origem, antes que o aparelho volte ao funcionamento normal.

Precisamos estar atentos para encontrar este tipo de problema no momento certo ou então usar de artifícios para provocá-lo artificialmente. Temos então os seguintes casos:

a) O aparelho manifesta o problema quando o movimentamos (balançando a caixa, por exemplo, ou mudando de posição).

* Verifique os cabos de conexão de microfone, alimentação e outros elementos além de conectores (9), (10) e (11).

* Verifique conexões e conectores internos e as pilhas no suporte (16).

* Mexa nos componentes da placa de circuito impresso para verificar se existe nenhum que esteja mal soldado (solda fria).

* Verifique os soquetes e componentes montados em soquetes (48).

 

b) O aparelho manifesta o problema somente depois de algum tempo de aquecido ou de uso. Neste caso temos um problema que pode estar sendo causado por um componente com algum defeito interno e que deve ser localizado e trocado.

* Logo ao ligar o aparelho, aproxime a ponta do ferro de soldar quente de algum componente "suspeito" como transistores de modo aquecê-los um pouco e verificar se o problema se manifesta.

* Se o problema se manifesta podemos experimentar um jato de spray congelante. Ao atingir o componente com este jato, o problema deixa de ocorrer. Neste caso, este componente deve ser trocado.

* Teste capacitores (41) e (42) que podem estar com defeitos intermitentes que só se manifestam na presença de alimentação depois de algum tempo.

 

c) O defeito se manifesta quando atuamos sobre algum controle.

Neste caso:

* Verifique possíveis maus contatos no controle (32) e (34).

* Verifique as ligações do componente de controle com a placa de circuito impresso (10).

 

 

 

Também é interessante fazer uma verificação visual de modo a se detectar se não existem componentes com terminais quebrados ou desencaixados que se soltam ao mais leve movimento do aparelho.

 

 

(76) ATUAÇÃO DEFICIENTE DE CONTROLES - RUÍDOS OU FALHAS

Nos receptores de rádio, toca-fitas, gravadores e muitos aparelhos de som ocorrem ruídos quando atuamos sobre os controles de volume, tonalidade, balanço e outros. Nos televisores ocorrem problemas de instabilidade de imagem o mesmo ocorrendo com monitores de vídeo de computadores que possuam esses controles na forma analógica, pois os mais modernos os têm na forma digital. Em outros aparelhos os ajustes podem falhar com variações bruscas.

 

Este é um defeito que pode ter origem no próprio componente usado no ajuste. Verifique:

 

* Sujeira nos potenciômetros (32)

* Sujeira ou curtos nos capacitores variáveis (34)

* Problemas com trimpots (33)

* Problemas de contatos em chaves seletoras de funções (17)

* Fios de ligações dos controles às placas de circuito impresso (10)

 

 

(77) VOLUME "SALTA" REPENTINAMENTE QUANDO AJUSTAMOS O CONTROLE

Este problema é característico do potenciômetro de controle de volume. verifique:

* O potenciômetro de controle de volume (32)

* Presença de sujeira no potenciômetro (3)

* Meça a continuidade do controle de volume (A1)

* Verifique os fios de ligação do controle (10)

 

 

(78) FALTA DE VOLUME

O som do aparelho é puro, mas ele tem intensidade máxima muito abaixo do normal. Verifique:

* Se for receptor (rádio, FM, sintonizador, etc.) verifique o ajuste das etapas (60 a 64).

* Se for amplificador verifique possível deterioração da cápsula (microfone ou fonocaptor) - (40) e (45).

* Se for amplificador ou qualquer outro equipamento de som, verifique as diversas etapas usando um seguidor de sinais (55).

* Meça a tensão da fonte (56). Se estiver abaixo do normal, proceda conforme indica o item (67).

* Verifique se a fonte de sinal tem sua impedância casada com a entrada do aparelho ou está ligada na entrada correta (40).

 

 

(79) DISTORÇÃO

Este defeito pode ocorrer em qualquer aparelho que tenha na sua saída de som um alto-falante ou fone como: amplificadores, som multimídia, pequenos rádios, walkmans, CD-players, intercomunicadores, etc.

 

Procedimentos:

* Verifique com o seguidor de sinais sem o sinal vai até a etapa final de saída sem distorção. Se estiver bom até este ponto, estará  caracterizado que o problema pode estar na etapa de saída (55).

* Se não tiver o seguidor de sinais, verifique os transistores de saída.

 

Normalmente são usados dois (saídas complementares ou push-pull) e um deles pode estar queimado (49). Se o aparelho usar circuito integrado, verifique este componente.

* Verifique o transformador de saída, se for usado (10).

* Verifique a polarização dos transistores tais como resistores (31) e mesmo capacitores (41) e (42).

* Meça a tensão da fonte de alimentação (56). Se estiver abaixo do normal verifique o item (67).

* Se for gravador verifique o alinhamento da cabeça gravadora (66), a velocidade da fita (66) e também a eventual presença de sujeira (36).

* Verifique o motor, se for toca-discos ou gravador (29). verifique também as correias (6).

* Se for rádio verifique também o ajuste (60 a 64).

* Verifique o estado do alto-falante (5) e (21).

 

(80) FALTA DE SENSIBILIDADE

Pode ocorrer com rádios, gravadores e amplificadores além de outros aparelhos de som. Temos então os seguintes procedimentos:

 

a) Rádios

* Verifique os ajustes (60 a 64)

* Verifique a bobina de antena (7)

* Verifique as conexões de antena, se existirem (10)

* Use o injetor de sinais para detectar eventuais etapas com funcionamento norma, (54). Se quiser use o seguidor de sinais (55).

* Se a falta de sensibilidade for em uma faixa poder  estar caracterizado que o problema é das etapas de RF e de ajuste na faixa deficiente.

* Se a falta de sensibilidade ocorrer em todas as faixas devemos verificar as etapas de áudio. Se ocorrer distorção veja também o item (79).

 

b) Amplificadores

* Se também houver distorção ao abrir o volume, verifique a etapa de saída, transistores e radiador de calor (53), (49) e (38).

* Se não houver distorção faça a análise por etapas para chegar ao problema. Use o injetor ou seguidor de sinais. Meça tensões nos diversos pontos de cada etapa (54), (55) e (56).

* Verifique o estado das pilhas ou a tensão da fonte de alimentação.

 

c) Gravadores/toca-fitas e toca-discos

* Verifique o estado da cápsula do toca-discos ou a cabeça gravadora (66), (45), (36) e (3).

* Verifique as conexões do transdutor (cabeça gravadora, etc.) ao aparelho de som ou seu circuito.

* Use o injetor de sinais ou o seguidor de sinais para encontrar uma eventual etapa com problemas (54) e (55).

* Verifique se existem alterações de polarização dos transistores ou ainda do circuito integrado testando resistores e medindo tensões (31) e (56).

* Verifique a continuidade das bobinas das etapas de FI e de RF se for aparelho receptor (27).

 

 

(81) NÃO GRAVA - SÓ REPRODUZ

Este é um defeito que pode ocorrer em gravadores de todos os tipos. Verifique:

* Acompanhe o sinal de gravação injetando um sinal no lugar do microfone ou então algum programa para ser gravado. Use o seguidor de sinais para acompanhar o sinal de prova (55).

* Teste a continuidade da cabeça gravadora (36).

 

(82) SÓ GRAVA - NÃO REPRODUZ

Também é um defeito que ocorre em qualquer tipo de gravação, toca-fitas ou mesmo tape-deck.

* Teste a cabeça de reprodução (36).

* Injete um sinal na cabeça de reprodução e acompanhe-o pelo circuito até encontrar a etapa deficiente (54). Use o seguidor de sinais se dispuser deste instrumento (55).

* Analise as etapas de pré-amplificação do sinal da cabeça leitora ou outro tipo de transdutor (53).

* Verifique a conexão da cabeça gravadora ou leitora ao circuito (10).

 

(83) O APARELHO "PEGA" ESTAÇÕES DE RÁDIO (sem ser rádio)

Amplificadores, gravadores, tape-decks e outros aparelhos que possuam etapas de áudio sensíveis podem captar sinais de estações de rádio próximas ou muito fortes, principalmente da faixa de AM.

 

Verifique:

* Aterramento dos diversos aparelhos que estiverem ligados e blindagem de suas caixas.

* Malhas dos cabos de entradas dos sinais (10).

* Aterramento de todas as malhas.

* Ligue um capacitor de 1 nF ou valor experimentalmente encontrado, entre a base do primeiro transistor amplificador de áudio da etapa por onde entra o sinal ou entrada do circuito integrado e a massa do circuito. Para verificar por onde entra o sinal é só tocar nos diversos pontos das etapas com uma chave de fendas (tome cuidado para não provocar curtos nesta operação) (57).

 

(84) CAPTA SOMENTE ALGUMAS ESTAÇÕES

Este problema pode ocorrer com rádios AM e FM, walkmans, etc. Excluímos aqui o caso de receptores que naturalmente possuem pequena sensibilidade ou que fiquem em localidades distantes de estações e que por isso só podem pegar estações mais fortes ou aquelas cujos sinais chegam até o local. Verifique:

* O bastão de ferrite se o problema só ocorrer na faixa de ondas médias e curtas (7).

* Verifique a calibragem do aparelho (60 a 64).

* Verifique o estado das pilhas (12).

* Meça a tensão na fonte de alimentação (56).

* Procure bobinas abertas ou com problemas nos circuitos de FI e RF (27).

* Analise o circuito com o injetor de sinais para detectar eventuais etapas com problemas de amplificação (54).

* Teste os componentes das etapas suspeitas tais como transistores, resistores e capacitores (49), (31) e (41).

* Se o defeito ocorrer uma única faixa examine os componentes as etapas de RF desta faixa.

* Se o problema for em todas as faixas, examine os circuitos de áudio, detector e controle de volume.

 

(85) SOM MUITO AGUDO

Esse problema é mais simples de resolver nos equipamentos tradicionais de som que usem amplificadores classe B e semelhantes. Os modernos amplificadores digitais e classe D encontrados em MP3, CD Players mais modernos usam Cis dedicados que não admitem a solução indicada nesse item.

Se o som de amplificadores, rádios e gravadores além de outros aparelhos que tenham etapas de áudio e usem na saída fones e alto-falantes estiver muito agudo (as baixas frequências são cortadas). Verifique:

* A polarização dos transistores das etapas de áudio. Meça as tensões nos transistores (56), circuitos integrados e teste os resistores ligados a estes componentes (31).

* Teste os capacitores de acoplamento entre as etapas de áudio que podem estar com fugas ou abertos (41) e (42).

* Verifique o estado das pilhas (12) que podem estar fracas ou com problemas. Faça o mesmo se o aparelho usar bateria.

* Se houver etapa de saída com termistor NTC), ou diodos estabilizador, verifique estes componentes.

* Teste o capacitor eletrolítico de desacoplamento e acoplamento na saída de áudio (41).

* Verifique se o alto-falante está bom (5).

 

(86) SOM MUITO GRAVE

É um problema que pode ocorrer com qualquer equipamento que tenha etapas de áudio como rádios, amplificadores, gravadores, walkman, e outros com configurações tradicionais analógicas. Não vale para sons digitais e classe D.

 

Verifique:

* Ajuste das etapas de RF (60 a 64).

* Capacitores de acoplamento e desacoplamento entre as diversas etapas (41) e (42).

* Controle de volume. Teste o potenciômetro (32).

* Verifique o estado do alto-falante.

* Teste o aparelho com o injetor de sinais para verificar se o problema está em determinada etapa. Use também o seguidor de sinais (54) e (55). Se isolar a etapa correspondente; meça os resistores de polarização (31) e também teste os transistores amplificadores (49) e circuito integrado. Veja se existe um capacitor entre o emissor e terra dos transistores testando-o (41) e (42).

 

(87) ALTERA A VELOCIDADE DA FITA OU PRATO

Este problema pode ocorrer com gravadores, CD players, videocassetes, brinquedos com motores e toca-discos.

 

Verifique:

* Polias e borrachas de transmissão (6).

* Ajuste de velocidade do motor (65).

* O circuito de controle da velocidade do motor.

 

(88) O MOSTRADOR DE CRISTAL LÍQUIDO NÃO APRESENTA NADA

Evidentemente este tipo de mostrador não emite luz e, portanto não acende. O que ocorre neste caso é que não aparece nada no mostrador quando ligamos o aparelho. Devemos proceder da seguinte maneira com este problema que pode ocorrer em calculadoras, relógios, e muitos outros aparelhos.

* Verifique o cabo de alimentação (9).

* Verifique o suporte de pilhas (12).

* Teste is cabos de conexão do suporte de pilhas ou fonte de alimentação (11) e (9).

* Veja se existem maus contatos por sujeira nos suportes de pilhas e outras partes de encaixes como conectores (3) e (16).

* Meça as tensões nas diversas etapas (56).

* Verifique se o mostrador recebe tensões de modo correto (56).

 

(89) NÃO EMITE SINAIS

Este problema pode ocorrer com pequenos transmissores, controles remotos via rádio e por infravermelhos, walk-talkies, etc.

Analisemos as diversas possibilidades:

 

a) Transmissores de rádio (controles remotos, pequenos transmissores, walk-talkies, etc.)

* Verifique inicialmente a alimentação (12)

* Verifique o suporte de pilhas ou conector da bateria (13).

* Se houver recepção, verifique as etapas de oscilação e amplificação de RF do aparelho além da conexão de antena, se usar (53).

* Verifique os ajustes (o receptor ou o transmissor podem estar operando em frequências diferentes e incorretas). Obs: os ajustes devem ser feitos com a ajuda de instrumentos apropriados.

* Teste os componentes das etapas suspeitas como capacitores, resistores, bobinas e transistores (31), (49), (41) e (42).

* Verifique também se o receptor está operando e devidamente sintonizado.

 

b) Controles remotos via rádio

* Verifique se há oscilação. Meça tensões na etapa de saída ou use um receptor apropriado como referência.

* Verifique os ajustes do transmissor e do receptor que podem estar fora de frequência.

* Meça tensões das pilhas e verifique os suportes (12) e (13).

* Use o seguidor de sinais para detectar as oscilações se o aparelho for do tipo que opera com modulação. Alguns brinquedos e aparelhos com controles remotos usam sinais modulados em tom (55).

 

c) Controles por infravermelho

* Muitos tipos de controles remotos por raios infravermelhos usam circuitos integrados específicos com muitas funções de modo que a constatação de funcionamento se resume na medida de tensões (56) nos pinos do integrado e eventualmente o teste do LED infravermelho (50).

* Verifique inicialmente o estado das pilhas (12).

* Veja se os contatos do suporte de pilhas estão perfeitos (13).

* verifique a presença de sinal de áudio (modulação) na saída usando um seguidor de sinais (55).

 

d) Controles por ultrassons

Estes aparelhos são atualmente pouco comuns e usam circuitos integrados ou transistores que alimentam um transdutor normalmente piezoelétrico ou magnético.

* Verifique as pilhas (12) e o suporte das pilhas (13).

* Meça as tensões no circuito integrado ou transistores (49) e (50).

* Verifique o funcionamento do transdutor. Normalmente aproximando o circuito de um rádio fora de estação em AM ele gera um sinal audível, indicando que os circuitos estão funcionando.

 

(90) NÃO HÁ SINAL NO RECEPTOR DE CONTROLE REMOTO

O diagnóstico depende do tipo de aparelho considerado.

 

a) Receptores de rádio usados em brinquedos, sistemas de abertura de portas, televisores, etc.

* Verifique o ajuste do receptor (60 a 64).

* Verifique as pilhas e o suporte das pilhas, se usar (12)e (13).

* Veja se existem problemas de contatos no receptor (13).

* Meça tensões com o transmissor acionado (56).

* Use o seguidor de sinais trabalhando como se fosse um receptor de rádio comum (54). Ligue o seguidor de sinais no ponto em que ocorre a detecção do sinal (55) para verificar se, no acionamento, o sinal está presente neste ponto, caracterizando que problema está em etapas adiante ou não.

* Meça tensões no relé de acionamento.

 

Obs.: na maioria dos controles remotos modernos são usados módulos híbridos que são pequenos circuitos completos que devem ser trocados totalmente no caso de não funcionamento. Nesses casos deve-se identificar o pino de saída do sinal do receptor e verificar se nele existe sinal quando o transmissor é acionado.

 

b) Receptores para infravermelhos

* Ligue o seguidor de sinais na entrada do receptor (55) para detectar o sinal do transmissor.

* Teste o elemento sensível do receptor - foto-transistor ou diodo.

* Meça tensões nas diversas etapas do receptor (56).

* Teste os componentes das etapas de entrada tais como resistores (31), capacitores (41 e 42), transistores (49) e meça tensões em circuitos integrados quando usados (50) e (56).

 

c) Receptores ultrassônicos.

* Proceda como no caso de receptores por infravermelhos.

 

(91) VÍDEO DISTORCIDO

Alterações na imagem, cores sem muito brilho e outros problemas de imagem podem ter como causa principal o cabo de conexão de vídeo ao videocassete ou outra fonte de sinal Verifique:

* Conexões do cabo e conectores (24).

* Troque o cabo e o conector por um de melhor qualidade ou apropriado para vídeo se não o estiver usando.

* Nos monitores de vídeo de computadores, verifique os cabos e o encaixe da placa de vídeo no slot se o aparelho a usar. verifique seus contatos.

 

(92) VÍDEO COM ONDULAÇÕES

Este problema pode ser causado pela modulação ou interferência do sinal de 60 hertz da rede de energia captado por cabos com contactos ou blindagens deficientes ou ainda por problema de aterramentos dos aparelhos interligados que devem ter um "terra" em comum.

 

Verifique:

* Conexões e conectores com atenção para as blindagens (24).

* Aterramentos.

 

(93) ACIONAMENTO ERRÁTICO

Este problema pode ocorrer com alarmes e controles remotos. Sua ocorrência pode ser mais frequente em locais sujeitos a elevados n¡veis de ruídos e interferências como, por exemplo, em ruas movimentadas, em locais que possuam lâmpadas fluorescentes e aparelhos com motores ou ainda usados em indústrias e consultórios médicos.

 

Verifique:

a) Alarmes:

* Conexões entre os sensores (11)

* Sensores (46) e sua localização que deve estar longe de possíveis fontes de interferências como instalações de lâmpadas fluorescentes ou aparelhos com motores.

* Blindagens da caixa e aterramentos (10).

 

b) Controles remotos:

* Ajuste do receptor (60 a 64).

* Posicionamento dos sensores que podem estar próximos de lâmpadas fluorescentes ou motores geradores de interferências e ruídos.

* Blindagens do circuito receptor (10).

* Nível de ruído no local, usando para isso como referência um receptor de rádio comum de AM se o aparelho operar com sinais de rádio.

 

A solução poderá estar no uso de cabos blindados ou ainda mudança de posição do receptor. Outra saída é o uso de filtros se for constatado que o sinal vem da rede de energia.

 

(94) INTERFERÊNCIAS

Ocorrem em rádios, receptores e receivers além de televisores, quando a ligação de algum aparelho nas proximidades causa distúrbios como ruídos fortes e chiados no sistema de som. Nos televisores pode ainda aparecer na tela pequenos traços (chuvisco) ou mesmo distorção da imagem e instabilidade como perda de sincronismo, ondulações, etc.

Nos controles remotos pode haver o disparo errático do aparelho controlado.

 

Verifique:

* Se a interferência vem pelo espaço ou pela rede de energia, caso o aparelho seja ligado à rede. Para isso mude o local de sua ligação passando para uma outra tomada mais distante do aparelho que se suspeita interferir. Se for constatado que a interferência entra pela rede use um filtro que pode ser um capacitor de cerâmico ou poliéster de 100 nF x 600 V em paralelo com a tomada.

 

* Identifique a fonte de interferência para eventualmente eliminá-la por meio de filtros ou aterramentos na origem ou mudança do local de uso.

* Se a interferência vier pelo espaço na forma de sinais talvez seja necessário blindar ou aterrar a caixa ou ainda mudar a posição da antena.

 

(95) PEQUENO ALCANCE

Este problema pode ocorrer com pequenos transmissores, walk-talkies, controles remotos via rádio e todos os aparelhos que emitam algum tipo de sinal.

 

Procedimentos:

* Ajuste o transmissor (60 a 64) e meça as tensões nas diversas etapas.

* Ajuste o receptor (60 a 64) e meça as tensões nas etapas.

* Procure por componentes com problemas como resistores de polarização no receptor (31), transistores (49) e capacitores (42).

* Verifique as pilhas (12) e o suporte das pilhas (13).

* Veja se o sinal sintonizado não é uma harmônica ou espúrio do transmissor. Muitos circuitos mais simples geram diversos sinais, sendo o fundamental o mais forte e outros mais fracos. Talvez o receptor esteja erradamente sintonizado num desses sinais mais fracos.

* Falta de sensibilidade do receptor que pode ser devida a problemas de funcionamento do próprio circuito. Os circuitos comuns são semelhantes a rádios e, portanto podem ser analisados com os mesmos procedimentos.

 

Obs.: muitos controles remotos modernos usam módulos híbridos que vêm sintonizados de fábrica (transmissor e receptor) se um deles apresentar problemas, deve ser totalmente trocado pois não existe meio de se fazer o reparo. Alguns possuem um trimmer de ajuste, mas é preciso ter muito cuidado para se mexer nesse componente e deixar “escapar” definitivamente o sinal que deve ser sintonizado.

 

 

Conclusão

O que vimos neste livro é uma breve introdução às técnicas de reparação que podem ser usadas nos aparelhos eletrônicos que ainda admitem uma intervenção simples do técnico.

Atualmente existe a tendência dos aparelhos usarem módulos ou placas que devem ser substituídas na totalidade quando apresentam defeitos. Em muitos casos, é mais barato fazer a troca dessas placas do que tentar a reparação.

No entanto, existem muitos defeitos simples que podem ser reparados com poucos recursos e realizados por pessoas com pouco conhecimento técnico. Cabos partidos, soldas soltas, componentes discretos com problemas fáceis de detectar, não exigem que o equipamento sejam levado a um técnico.

Levando em conta que ainda existem milhões de equipamentos que ainda não empregam as técnicas mais modernas em funcionamento e mesmo alguns realmente antigos na mão de colecionadores e pessoas que se apegam a eles por motivos sentimentais, o conhecimento dos procedimentos de diagnóstico e reparação desses aparelhos pode ser muito importante para o leitor.

Não só esse conhecimento possibilita que o leitor que gosta ou quer aprender, tente o reparo antes de enviá-lo para um técnico se for constatado que é algo mais grave, como até pode ser o início de uma carreira como técnico.

A leitura desse livro vai possibilitar ao leitor até mesmo a se habilitar a um emprego como auxiliar técnico numa oficina para aprender mais e, quem sabe, no futuro abrir sua própria oficina.

Para os que desejam saber mais recomendamos os seguintes livros do mesmo autor:

 

Curso Básico de Eletrônica

Como testar componentes (Volumes 1 a 4)

 

 

 

Índice

Curso Básico de Reparação - Introdução

Curso Básico de Reparação – 1

Curso Básico de Reparação – 2

Curso Básico de Reparação – 3

Curso Básico de Reparação – 4

Curso Básico de Reparação – 5

Curso Básico de Reparação – 6

Curso Básico de Reparação – 7

Curso Básico de Reparação – 8

BUSCAR DATASHEET

 


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

 

Opinião

Terminando mais um ano (OP198)

Estamos chegando ao final de mais um ano de muito trabalho. Não temos que nos queixar de nossas realizações. Fizemos muito e constatamos que temos ainda muito mais por fazer. Os 365 dias de 2019 não foram suficientes para colocarmos em prática todas as nossas ideias, muitas das quais ficaram para o próximo ano.

 

Leia mais...

Trem
A melhor maneira de pegar um trem é perder o precedente.
O. K. Cersterton (1874 - 1936) - Citado em entrevista no O Estado de São Paulo - 1983 - Ver mais frases


Instituto Newton C Braga
Entre em contato - Como Anunciar - Políticas do Site

Apoio Social
Lions Clube de Guarulhos Sul SOS Mater Amabilis
Advertise in Brazil
If your business is Electronics, components or devices, this site is the correct place to insert your advertisement (see more)