NOSSAS REDES SOCIAIS -

Trabalhando com fly-backs (ART885)

Pela sua condição mais crítica de trabalho, em tensões muito altas que causam problemas com certa frequência, os transformadores de saída horizontal ou fly-backs são constante fonte de preocupações para os técnicos. A maioria, além de conhecer pouco deste componente, também tem um certo receio de fazer seu manuseio, principalmente em função da alta tensão encontrada. Neste artigo vamos falar um pouco dos fly-backs e do que o técnico que ainda manuseia este tipo de componente deve saber.

 

Este artigo é 1996 quando os televisores e monitores com cinescópios eram os mais comuns. Hoje este componente praticamente foi abolido com os LCDs e LEDs, mas o conhecimento de como eles são usados é importante para quem deseja recuperar um equipamento antigo.

 

OS TEMPOS MUDAM

O service de televisores passa por uma rápida transformação. Nos grandes centros, onde o poder aquisitivo é maior, os reparos nos televisores mais antigos quase não são feitos, dando-se preferência a sua troca por modelos mais novos. Isso implica num aumento sensível dos aparelhos novos com grandes garantias e que, portanto quase não quebram e na redução do trabalho para os técnicos reparadores. Estes técnicos diminuem em quantidade passando uma boa parte a diversificar suas atividades com a venda de equipamentos, instalação ou mesmo saída do ramo.

Por outro lado, paralelamente a isso, os aparelhos velhos que deixam de ser usado nos grandes centros passam a ser recuperados e usados nas cidades mais afastadas ou em regiões mais pobres isso sem se falar que os aparelhos antigos que ainda se encontram em funcionamento nestes locais, quando quebram ainda devem ser reparados.

Isso significa que, na atualidade o verdadeiro service de televisores, da forma tradicional com a tentativa de se recuperar o máximo possível dos componentes e dos próprios aparelhos se encontra em regiões mais pobres e em locais em que os televisores de última geração são acessíveis por poucos.

Para os técnicos desses locais, o trabalho com os televisores devem ser totais e tudo deve ser reparado ou recuperado.

Assim, se uma falha mais grave num circuito de alta tensão simplesmente elimina o televisor num grande centro, sendo o mesmo abandonado ou dado como sucata isso não ocorre nesses locais.

Sabendo que uma pesquisa revela que ainda mais de 50% dos televisores em uso nos locais mais pobres de nosso país são valvulados e/ou em branco e preto os artigos que ensinam a trabalhar com tais aparelhos ainda são de grande utilidade para uma boa parcela de nossos leitores.

É por este motivo que ainda hoje (apesar das novas tecnologias) não esquecemos dos técnicos dessas regiões e incluímos em nossa seção de service e nas fichas casos e artigos em que tratamos de aparelhos algo antigos.

Evidentemente temos de aceitar vez ou outro reclamações de leitores ávidos pelas últimas tecnologias que acham que esses artigos não devem ser incluídos, esquecendo os leitores das regiões menos privilegiadas e que precisam sobreviver com base na eletrônica.

 

OS FLY-BACKs

Se bem que nos televisores modernos pouco se necessite em termos de reparos, principalmente em se tratando dos fly-backs, nos televisores de alguns anos de uso, trata-se de um componente crítico.

De fato, o transformador de saída horizontal (TSH) conhecido como fly-back pelo seu princípio de funcionamento tem por função gerar a alta tensão que acelera os elétrons no cinescópio da ordem de milhares de volts e também o sinal dente de serra para a varredura horizontal, conforme mostra o circuito típico da figura 1.

 

Circuito típico de saída horizontal.
Circuito típico de saída horizontal.

 

A alta tensão produzida por este componente tem alguns efeitos interessantes que o tornam bastante sensível a um desgaste maior com o tempo e também a problemas que outros componentes não apresentam.

Um deles é que a alta tensão tende a eletrizar partículas de pó e poluição que então são atraídas com muito maior intensidade acumulando-se em locais indesejáveis.

Assim, conforme mostra a figura 2, o fato do fly-back estar normalmente fechado numa caixa blindada por motivos de segurança, este componente tende a acumular uma capaz de poluição muito maior que os demais componentes do televisor.

 

A alta tensão favorece o acúmulo de poeira.
A alta tensão favorece o acúmulo de poeira.

 

Ora, a alta tensão tende a formar centelhas quando determinadas condições são preenchidas.

O ar seco tem uma rigidez dielétrica de 10 000 volts por centímetro. Isso significa que, se tivermos dois condutores (esféricos) separados por uma distância de 1 cm, quando a diferença de potencial entre eles atingir 10 000 volts o ar não mais consegue ser um isolante e uma faísca ocorre, conforme mostra a figura 3.

 

Para
Para "saltar" 1 cm é preciso tensão da ordem de 10.000 V.

 

Este fato permite até que possamos avaliar a tensão de um determinado circuito pela faísca que ele produz. Se ele consegue fazer com que uma faísca salte a uma distância de 2 cm sabemos que a tensão é da ordem de 20 000 volts.

No entanto, a rigidez dielétrica de um meio diminui muito com a presença de impurezas e de umidade.

Assim, se num fly-back o material usado para isolar as diversas camadas de fio prevê uma certa tensão e uma certa rigidez do meio, esse isolamento pode ficar comprometido em função da presença de sujeira e umidade.

É neste ponto que podem surgir as faíscas entre as diversas camadas do isolamento de um fly-back capazes de lhe causar danos.

Conforme mostra a figura 4, as faíscas saltando entre as diversas camadas do enrolamento podem criar um percurso facilitado pela queima do material que forma uma verdadeira "pista" para a passagem da corrente.

 

Faíscas entre enrolamentos podem afetar o transformador de saída horizontal.
Faíscas entre enrolamentos podem afetar o transformador de saída horizontal.

 

Isso significa que, mesmo depois de seco, a pista já foi formada de material parcialmente ou totalmente queimado, e as faíscas podem continuar.

Evidentemente, estas faíscas significam um verdadeiro curto-circuito drenando a energia que deveria gerar a alta tensão e fazer a deflexão. O resultado disso é que, não só o televisor deixa de funcionar como também podem queimar os componentes que sofrem a sobrecarga.

Transistores ou válvulas de saída horizontal podem então sofrer sobrecargas capazes de causar sua queima.

Quando um fly-back chega a este ponto, de mesmo num dia seco, apresentar as faíscas entre enrolamentos, sua recuperação não é possível, devendo o mesmo ser trocado.

 

SINTOMAS

Nos dias mais úmidos, quando ligamos o televisor, podemos ouvir alguns estalos internos acompanhados de uma breve redução do quadro da imagem, conforme mostra a figura 5.

 

Estalos em dias úmidos são normais.
Estalos em dias úmidos são normais.

 

Estes estalos iniciais que desaparecem com alguns minutos de funcionamento indicam apenas que existe um pouco de umidade acumulada no fly-back ou em outras partes do circuito de alta tensão provocando faiscamentos.

Com alguns minutos de funcionamento o aquecimento dos circuitos faz com que esta umidade desapareça e tudo volte à normalidade.

No entanto, a manifestação destes estalos já indica que alguma coisa de anormal está ocorrendo. O acúmulo de sujeira no componente pode estar favorecendo a concentração de umidade e com isso provocando as fugas de alta tensão.

Com o tempo, conforme salientamos, os estalos que são faíscas saltando, podem criar uma trilha de material queimado, por onde tendem a se manifestar com mais frequência, até que depois de algum tempo o isolamento deixa de existir e o televisor não funciona mais.

Assim, ocorrendo esta manifestação inicial que desaparece depois de alguns minutos, o melhor é abrir o televisor e fazer uma limpeza interna, com especial atenção à poeira acumulada nos circuitos de alta tensão.

Um pincel macio pode ser útil para remover todo o pó acumulado, principalmente entre as espiras dos enrolamentos do fly-back, se for do tipo antigo sem blindagem, conforme mostra a figura 6.

 

Removendo a sujeira acumulada num fly-back.
Removendo a sujeira acumulada num fly-back.

 

Para os tipos com blindagem total e triplicador, é interessante verificar se as fugas não são devidas a problemas de rachaduras ou quebras do isolamento do fio, conforme mostra a figura 7.

 

Rachaduras no isolamento podem causar fugas de alta-tensão.
Rachaduras no isolamento podem causar fugas de alta-tensão.

 

Se o problema já se manifesta há algum tempo, impedindo o funcionamento do televisor, é sinal de que os danos já são irreversíveis e mesmo a limpeza pode não dar resultados na recuperação do componente.

Neste caso, deve ser feita sua troca.

 

A TROCA DO FLY-BACK

Um problema que muitos técnicos encontram na troca do fly-back é o relativo à identificação de todos os terminais do tipo usado e a obtenção de um equivalente.

Na verdade, a disponibilidade destes fly-backs no mercado especializado é cada vez melhor pelos motivos que abordamos no início do artigo: os televisores modernos quase não precisam de reparos e os modelos antigos tem seu uso restrito a regiões afastadas.

Para a troca de um fly-back devemos estar atentos aos seguintes pontos:

a) O tipo usado deve ser igual ou equivalente ao original. Para saber qual deve ser o fly-back usado devemos ter em mãos o tipo de televisor de modo que o fornecedor possa saber qual é o que serve.

Se houver dificuldades em encontrar o original, uma possibilidade consiste em se aproveitar o componente de algum televisor fora de uso. Guardar componentes bons de televisores antigos pode ser uma prática importante para os técnicos de oficinas de locais que ainda trabalham com televisores antigos.

O teste com fly-backs de características próximas a do original podem ser tentados, desde que seja possível obter um diagrama das ligações. Se o tipo testado tiver as mesmas tomadas e configurações de bobina pode ser feita uma tentativa de aproveitamento com base no diagrama.

 

b) Ao fazer a retirada do fly-back original anote cuidadosamente as posições dos fios, pois uma ligação errada vai prejudicar o funcionamento do aparelho, se não ocorrer a queima de componentes.

 

c) Tenha muito cuidado com as conexões dos fios de alta tensão, pois cortes acidentais, pingos de solda e outros problemas podem causar fugas de alta tensão que, conforme vimos podem afetar mais ou menos rapidamente a integridade dos componentes.

 

DEPOIS DA TROCA

Os componentes eletrônicos não são absolutamente iguais, o que quer dizer que, mesmo no caso dos fly-backs, exige-se uma compensação nos circuitos após a troca.

Para esta finalidade devem ser ajustados os diversos circuitos de deflexão vertical, e eventualmente de alta tensão, para que a imagem seja reproduzida da melhor forma.

Verifique também se após a troca não persistem figas de alta tensão ou ainda ocorram sinais de que outros componentes tenham sido afetados.

O transistor ou válvula de saída horizontal podem sofrer alterações se funcionarem por muito tempo com um fly-back que tenha problemas.

Se os ajustes da imagem não ocorrerem da maneira esperada, isso pode ser sinal de que outros componentes do circuito foram afetados.

 

RECUPERAÇÃO DE FLY-BACKS

Em alguns casos, uma fuga muito pequena, que ainda não tenha afetado o componente, pode ser corrigida com um pingo de cera de vela ou ainda esmalte. Este material isolante pode impedir que a alta tensão escape, se seu nível for suficientemente baixo e se o local ainda não apresentar sinais de queimado.

No entanto, se o componente tiver sinais de danos irreversíveis, sua recuperação não é compensadora. O que ocorre é que para o técnico comum fica muito difícil conseguir fios para fazer um novo enrolamento e, além disso, ter as ferramentas de enrolamento que levem a uma disposição das espiras da forma original.

Neste caso, o máximo que o técnico pode fazer é retirar o núcleo de ferrite guardando-o para um eventual aproveitamento em alguma outra aplicação.

Artigos Relacionados

BUSCAR DATASHEET

 


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

 

Opinião

Mundo diferente (OP203)

Em plena pandemia já estamos nos preparando para o mundo diferente que teremos a partir de agora. A disruptura que está ocorrendo está mudando nossos hábitos de uma forma que sabemos ser irreversível. Os hábitos de compras, os eventos, festas, o ensino, tudo mais deve mudar com o uso predominante da tecnologia.

Leia mais...

Pensamentos
Os grandes pensamentos vêm do coração.
Vauvenarques (1715 1747) Reflexes e Máximas - Ver mais frases


Instituto Newton C Braga
Entre em contato - Como Anunciar - Políticas do Site

Apoio Social
Lions Clube de Guarulhos Sul SOS Mater Amabilis
Advertise in Brazil
If your business is Electronics, components or devices, this site is the correct place to insert your advertisement (see more)