Descobrindo Fusíveis Queimados sem Retirá-los do circuito (INS175)

Escrito por Newton C Braga

Neste artigo de 2006, feito com base em material da Fluke, descrevemos uma técnica muito interessante para descobrir fusíveis queimados no circuito. Assunto de grande interesse para os eletrotécnicos.

A Fluke (www.fluke.com) possui em sua documentação técnica muitos documentos com casos reais e também com dicas para o uso de seus instrumentos. Desta vez escolhemos o modo de se descobrir qual fusível está queimado numa instalação elétrica trifásica que alimenta um motor, pela simples medida da tensão nos fusíveis. O instrumento usado foi é o multímetro digital.

No procedimento normal, costuma-se retirar os fusíveis do circuito e testá-los um a um. No entanto, a dica dada pela Fluke é interessante, pois evita isso. A recomendação inicial é que, como as medidas são de tensão em um circuito vivo, o operador deve estar devidamente protegido com luvas isolantes.

É claro que, o primeiro passo no procedimento consiste em se fazer uma verificação visual dos fusíveis, pois se pode facilmente perceber em alguns casos um sinal de dano maior num deles, o que já mostraria a necessidade de sua substituição.

Em seguida, deve ser feita uma verificação da presença de tensão do lado de alimentação dos fusíveis, conforme mostra a figura 1. Depois disso, existem alguns métodos que podem ser adotados para se descobrir qual fusível está queimado.

 

 

A primeira possibilidade consiste em se realizar medidas de corrente.

 

1. Medida de corrente

Neste caso, um alicate amperométrico deve ser usado para se medir a corrente em cada fase. Na fase com a corrente zero teremos o fusível aberto. Este procedimento pode ser usado nos casos em que o motor ainda pode funcionar sem uma fase, o que ocorre em motores de indução, que ainda continuam funcionando sem uma fase. É claro que, antes de se fazer a substituição do fusível deve-se descobrir a causa de sua queima.

As possibilidades seguintes estão na medida de tensões.

 

2. Medidas de Tensão na Mesma Fase

Utilizando-se um alicate ou um voltímetro digital, meça a tensão em cada fusível. Coloque uma ponta de prova deve do lado da alimentação e a outra do lado do motor. Para um fusível bom, a queda de tensão deve ser zero volt. Uma queda de tensão de alguns milivolts é tolerável, dada a resistência do componente.

 

3. Medida fase-a-fase

Conecte a ponta de prova do lado da alimentação da fase A. Teste os fusíveis da fase B e C conectando a outra ponta de prova do lado da carga de cada fusível. Se os fusíveis B e C estiverem bom, será lida a tensão normal. Proceda da mesma forma combinando as outras fases. Se o fusível estiver aberto, a tensão lida será menor do que a normal. Por exemplo, para a tensão de fase de 480 V será lida uma tensão de 277 V.

 

 

Circuito Desligado

Uma vez que haja uma suspeita de fusível aberto, o circuito deve ser desligado. Para isso, proceda da seguinte forma:

* Desligue a chave que controla o circuito, mas lembre-se que mesmo com este procedimento o lado da alimentação da chave de controle permanece energizado.

* Como os fusíveis estão agora desligados, pode-se usar a função ? do multímetro digital para se fazer o teste de cada um. O fusível em bom estado deve ler zero ? ou muito próximo disso.

* Faça medidas adicionais nos suportes dos fusíveis, pois podem ocorrer problemas de contactos.

 

Os fusíveis devem ser sempre substituídos com o circuito desligado. Use sempre fusíveis com as mesmas características dos originais. Ao colocar o fusível sempre encaixe antes o lado da carga e depois o lado da alimentação.