Como Testar Alto-Falantes (INS026)

Escrito por Newton C Braga

O que são e o que fazem

Os alto-falantes são transdutores eletro-acústicos, ou seja, dispositivos que convertem energia elétrica em som. Os tipos mais comuns têm a estrtutura mostrada na figura 1 consistindo basicamente de um cone móvel com uma bobina acoplada e que pode aplicar uma força ao cone quando percorrida por uma corrente.

 

 

Para que a força surja com a corrente, um forte imã é acoplado ao sistema de modo que a bobina possa cortar suas linhas de força.

A potência de um alto-falante, ou seja, quanto de som ele pode fornecer está  normalmente determinado pela espessura do fio usado na bobina e pela força/tamanho do imã.

A principal característica de um alto-falante é a sua impedância que pode ser tipicamente de 4 ou 8 ohms, mas essa impedância nada tem a ver com a resistência apresentada pela bobina quando fazemos um teste de continuidade. A bobina deve apresentar uma resistência muito menor para qualquer alto-falante.

 


O que devemos testar

O teste elétrico de um alto-falante se resume na verificação da continuidade da bobina. A bobina deve apresentar uma resistência muito baixa (menor que a impedância) se o alto-falante estiver bom. Se a bobina estiver interrompida, ou sua ligação aos terminais (caso em que a reparação pode ser feita), a resistência será infinita, ou seja, não deve haver continuidade.

Mesmo para alto-falantes especiais como os tweeters vale o mesmo comportamento elétrico, que permite fazer o seu teste com facilidade.

Lembramos apenas que no caso de alto-falantes piezoelétricos que o elemento transdutor é de alta impedância, ou seja, não apresenta continuidade mesmo quando bom.

 

Instrumentos usados no teste

multímetro

provador de continuidade

osciloscópio e traçador de curvas (prova de continuidade)

 

A alta tensão das lâmpadas de prova impede sua utilização nesta prova.

 

 

Alto-falantes provados

Todos os tipos de alto-falante de bobina móvel, de baixa impedância com impedâncias entre 2 e 80 ohms. Alto-falantes de médios, graves e agudos, de qualquer tamanho ou potência podem ter o estado da bobina móvel verificado com o procedimento que descrevemos.

 

Procedimento

a) Prepare o instrumento para a prova. Verifique o funcionamento e se for multímetro coloque na escala mais baixa de resistências (Ohms x1 ou x10) zerando-o em seguida.

 

b) Encoste as pontas de prova nos terminais do alto-falante que deve ser testado.

 

Na figura 2 mostramos o procedimento para este teste.

 

 

Interpretação da prova

a) Se houver continuidade, o alto-falante está com seu circuito elétrico (bobina) em bom estado. Um funcionamento anormal pode ser devido a deformações, rasgos ou ainda a bobina pode estar presa por algum corpo estranho ou outro motivo. Na continuidade a resistência deve ser muito baixa, normalmente bem menor que a impedância do alto-falante.

b) Se não houver continuidade, a bobina ou seu circuito, está interrompida. Verifique se não se trata simplesmente do fio que liga a bobina ao terminal que pode estar solto.

 

Observações:

Na prova com provadores de continuidade que apliquem uma certa corrente ao circuito, ao encostar as pontas de prova no alto-falante pode ser emitido um pequeno estalido. Este é indicativo de que realmente o alto-falante está bom.

 

Prova alternativa

Uma prova alternativa simples pode ser feita com uma pilha para alto-falantes de mais de 1 W. Se encostarmos os fios da pilha nos terminais do alto-falante deve haver a emissão de som se o alto-falante estiver bom, conforme mostra a figura 3.

 

 

A observação do sentido do movimento do cone do alto-falante nesta prova permite a determinação de sua fase.

Evidentemente, a ligação do alto-falante na saída de um pequeno amplificador de prova também consiste numa excelente alternativa para a prova deste tipo de componente.