NOSSAS REDES SOCIAIS -

Como testar Triacs (INS238)

Os Triacs são usados em dimmers, controles de velocidade de motores, controles de temperatura de eletr-eletrônicos e muito mais. Frequentemente, o praticante de eletrônica se depara com um aparelho que use um desses componentes, precisando testá-lo. Veja neste artigo como fazer isso. Este artigo é um exemplo do que o leitor vai encontrar na série Como Testar Componentes em 4 volumes do mesmo autor.

 

O que são

Triacs são dispositivos semicondutores da família dos Tiristores, constando basicamente de 4 camadas de materiais N e P. Por esse motivo, eles também são denominados "diodos de quatro camadas". Na figura 1 temos o símbolo, estrutura e aspecto desse tipo de semicondutor de potência.

 


 

Os Triacs são usados no controle de potência de circuitos ligados à rede de corrente alternada podendo ser considerados em equivalência a dois SCRs ligados em oposição e em paralelo, conforme mostra a figura 2.

 


 

O que testar

O teste estático dos Triacs leva em conta essa estrutura que, conforme podemos perceber, só nos permiote detectar quando existe algum tipo de curto-circuito entre os eletrodos.

O melhor para termos certeza de que um Triac está em bom estado é realizando um teste dinâmico. Para essa finalidade pode ser usado um circuito de prova simples ou um circuito de prova que faça uso do osciloscópio.

 

Instrumentos Usados

* Provador de continuidade

* Multímetro

* Circuito de prova

* Oscilioscópio e circuito de teste

 

Procedimento

Existem diversas técnicas para se testar um TRIAC de uso geral com correntes até ins 20 A. A seguir, descrevemos algumas delas.

 

a. Com o Multímetro e Provador de Continuidade

Usando um multímetro comum ou digital é possível detectar quando existe alguma junção em curto ou quando o próprio componente está em curto. Para essa finalidade fazemos o teste combinado de resistências entre os terminais.

 

Procedimento

a) Coloque o multimetro numa escala intermediária de resistências (x10 ou x100 se for analógico ou 2 000 ou 20 000 se for digital). Para o analógico zere-o antes de usar. Se usar o provador de continuidade coloque-o em condições de uso.

 

b) Meça a resistência entre seus diversos terminais.

A figura 3 detalha como esse teste deve ser realizado.

 


 

Interpretação da Prova

As resistências medidas são as esperadas, conforme indicado na figura. Neste caso, o Triac pode estar bom certamente não está em curto, pois a prova não revela se ele está aberto.

Onde existe indicado uma resistência alta é medida uma resistência muito baixa. Neste caso, o componente está em curto.

 

b. Com circuito de teste

A melhor maneira de se provar um Triac de modo a se ter a garantia total de que ele se encontra em bom estado é com o circuito mostrado na figura 4.

 


 

Os valores dos componentes indicados é para a rede de 110 V e entre parenteses para a rede de 220 V.

Triacs para essas redes com correntes até 20 A e disparo até uns 50 mA podem ser testados.

Para triacs de maior corrente de disparo, os componentes da rede de disparo devem ser alterados. Aumente o capacitor e reduz o valor do rsistor de comporta assim como do potenciômetro.

 

Procedimento

a) Identifique os terminais do Triac a ser provado e ligue-o no circuito de teste. Não será preciso usar dissipador de c alor no Triac se a lâmpada de prova tiver potência menor do que 60 W. Para lâmpadas maiores, um pequeno dissipador deve ser usado

b) Alimente o circuito observando a lâmpada. É importante observar que somente lâmpadas incandescentes devem ser usadas neste circuito de prova.

c) Pressione S1 observando o que ocorre com a lâmpada.

 

Observação

O circuito de teste não é isolado da rede de energia. Por isso tome muito cuidado para não tocar em nenhuma parte exposta ou deixá-la entrar em contacto com outros aparelhos na bancada.

 

Interpretação da Prova

Se a lâmpada acender tão logo o Triac seja colocado no circuito e este alimentado, é sinal de que ele se encontra em curto. Se a lâmpada não acender, aperte S1.

Ao apertar S1 a lâmpada deve acender com seu brilho normal. Deve apagar quando S1 for solto. Se isso não acontecer, permanecendo a lâmpada apagada quando S1 for pressionado, o Triac se encontra aberto.

 

c. Com Osciloscópio

Uma forma simples de testar um triac e ao mesmo tempo visualizar as formas de onda no seu circuito pode ser feita com um interrupor de potência usando poucos componentes, ligado a um osciloscópio, conforme mostra a figura 5.

 


 

Triacs com correntes de disparo até 50 mA podem ser testados. Desligando o resistor, a lâmpada deve apagada. Se permanecer acesa, o Triac se encontra em curto e se ao ligar o resistor, a lâmpada permanecer apagada, o Triac se encontra aberto.

A simulação no Electronics Workbench mostrada na figura dá uma idéia das formas de onda nesse circuito.

 

Procedimento

a) Monte o circuito indicando, ligando-o ao osciloscópio caso deseje visualizar as forma de onda. Cuidado com as conexões. Para maior segurança no teste, use um transformador de isolamento.

b) Ajuste o osciloscópio para ler sinais com a amplitude aproximada da rede local. A freqüência de varredura deve ser ajustada para se observar de 3 a 8 ciclos da tensão da rede de energia de 60 Hz. Se o osciloscópio for de simples traço, observe apenas a forma de onda no circuito de carga.

c) Ajuste a imagem para ficar como o indicado na figura 6 e atue sobre o potenciômetro para ver o ângulo de condução.

 

Na figura 6 temos as formas de onda normais para um Triac em boas condições e formas de onda para um Triac com problemas.

 


 


Interpretação da Prova

Com o resistor o Triac deve disparar conduzindo os dois semiciclos da tensão da rede e acendendo a lâmpasda com potência total. Se isso não ocorrer, o problema pode estar no Triac.

A prova vale para Triacs comuns da série TIC com correntes até uns 20 A, usados tanto na rede de 110 V (127 V) como 220 V (240 V).

 

Observação

Lembramos que existem componentes denominados "Quadracs" que já contém em seu interior o Diac associado, conforme mostra a figura 7. Esses componentes podem ser testados com o mesmo circuito. Uma outra possibilidade consiste em se montar um controle de potência para teste.

 


BUSCAR DATASHEET

 


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

 

Opinião

Terminando mais um ano (OP198)

Estamos chegando ao final de mais um ano de muito trabalho. Não temos que nos queixar de nossas realizações. Fizemos muito e constatamos que temos ainda muito mais por fazer. Os 365 dias de 2019 não foram suficientes para colocarmos em prática todas as nossas ideias, muitas das quais ficaram para o próximo ano.

 

Leia mais...

Repetir
Quem vive estudando, mas nunca repete o que aprendeu, se parece com quem vive semeando, mas nunca ceifa.
Do Talmude - Ver mais frases


Instituto Newton C Braga
Entre em contato - Como Anunciar - Políticas do Site

Apoio Social
Lions Clube de Guarulhos Sul SOS Mater Amabilis
Advertise in Brazil
If your business is Electronics, components or devices, this site is the correct place to insert your advertisement (see more)