O Site do Hardware Livre - OSHW

Medindo ganho de transistores com frequencímetro (INS208)

Muitos multímetros modernos possuem funções especiais que permitem a medida do ganho de transistores bipolares. No entanto, se o multímetro do leitor não possuir esta função e em sua bancada um frequencímetro estiver disponível, com o circuito descrito neste artigo será possível fazer a medida de ganho.

O que este circuito faz é converter o ganho de um transistor em frequência, e com isso tornar possível sua medida num frequencímetro comum.

O circuito é baseado num oscilador TTL e utiliza poucos componentes. Uma vez calibrado, ele proporciona uma medida com boa precisão.

Dentre os usos mais importantes para um circuito deste tipo destacamos a seleção de transistores de maior ganho ou de ganhos iguais num lote em que estas características sejam necessárias.

Outra aplicação é a própria comprovação de estado de um transistor, já que existem aplicações em que um ganho acima de certo valor é exigido.

 

COMO FUNCIONA

O que temos é um oscilador em que a frequência é determinada pelo capacitor C1 e pelo resistor ligado entre este capacitor e a alimentação.

Acontece que este resistor é dado pelo transistor em prova. Como sabemos, a resistência entre o coletor e o emissor de um transistor polarizado com uma corrente fixa depende de seu ganho.

Assim, neste circuito de tempo, que vai determinar a frequência do oscilador, colocamos o transistor em prova.

A chave S1 possibilita escolher se o transistor em prova é do tipo NPN ou PNP.

O trimpot P1 faz o ajuste da corrente de base do transistor em prova de modo que ela tenha uma analogia com a frequência produzida.

Por exemplo, no nosso caso usando um capacitor de 100 nF para C1 podemos ajustar o trimpot P1 para que um ganho 100 corresponda a uma frequência de 1 000 Hz. Assim, saberemos que a medida de uma frequência de 1 200 Hz significará um transistor com ganho 120.

O sinal do oscilador é aplicado a uma segunda porta de modo a servir de buffer isolando assim a entrada do oscilador do frequencímetro.

Como o circuito integrado usado é TTL, a alimentação deve ser feita com uma tensão de 5 V.

Temos duas possibilidades para isso.

Podemos usar quatro pilhas comuns e colocar um diodo em série obtendo-se assim algo entre 5,3 e 5,4 V, o que é tolerado pelos circuitos TTL comuns para a alimentação.

Outra possibilidade é usar uma fonte maior, conforme mostra a figura 1, fazendo a redução com um circuito integrado regulador do tipo 7805 ou ainda com um diodo zener.

 

Fonte de 5V para o circuito.
Fonte de 5V para o circuito.

 

 

MONTAGEM

Na figura 2 temos o diagrama do conversor ganho x frequência tanto para transistores NPN como PNP.

 

Medidor de ganho usando um conversor analógico/digital TTL.
Medidor de ganho usando um conversor analógico/digital TTL.

 

A disposição dos componentes numa placa de circuito impresso é mostrada na figura 3.

 

Placa de circuito impresso do medidor.
Placa de circuito impresso do medidor.

 

Para a conexão do transistor em prova podem ser usadas três garras jacaré com cores diferentes:

 

Verde = base

Vermelho = emissor

Preto = coletor

 

Para a saída do frequencímetro pode ser previsto um cabo apropriado ou então bornes de acordo com as pontas de prova do instrumento usado.

Os componentes usados não são críticos e suas especificações são dadas na lista de material.

 

AJUSTES E USO

Consiga um transistor com ganho conhecido ou então um medidor de ganho que possa ser usado apenas para ajudar nos trabalhos de ajuste. Use este medidor para determinar o ganho de um transistor que vai ser usado para ajuste.

Ligue na saída o frequencímetro e no conversor o transistor.

Ajuste então o trimpot P1 para que a frequência medida no transistor seja o ganho do transistor multiplicado por 10.

Se o ganho medido for 230, por exemplo, ajuste P1 para ler uma frequência de 2 300 Hz no frequencímetro.

Depois disso é só usar o medidor.

Lembre-se que os transistores de potência tem seus ganhos especificados para correntes maiores do que a usada neste circuito e que, portanto, a indicação não é exata para este tipo de componente quando usado com este circuito.

 

Semicondutores:

CI1 - 7413 - circuito integrado TTL

D1 - 1N4148 ou equivalente - diodo de silício

Resistores: (1/8 W, 5%)

R1 - 100 k ?

R2 - 390 ?

P1 - 470 k ?

Capacitores:

C1 - 100 nF - cerâmico ou poliéster

C2 - 10 µF x 6 V - eletrolítico

Diversos:

Placa de circuito impresso, fonte de alimentação ou suporte de pilhas, garras jacaré de cores diferentes, bornes, caixa para montagem, fios, solda, etc.

BUSCAR DATASHEET

 


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

 

Opinião

As Atividades do Momento (OP193)

Tivemos duas semanas cheias com lançamentos de livros, eventos, entrevistas e encontros importantes que certamente reverterão em benefícios para aqueles que nos acompanham, tanto no nosso site como em nosso canal de vídeo. Começamos pela entrevista dada ao Luis Carlos Burgos do site Burgos Eletrônica em que falamos um pouco de nossa vida profissional e de nossas pretensões para o futuro.

Leia mais...

Respeito
Os homens mais respeitados não são sempre os mais respeitáveis
Marquês de Maricá (1773 - 1848) - Máximas - Ver mais frases


Instituto Newton C Braga
Entre em contato - Como Anunciar - Políticas do Site

Apoio Social
Lions Clube de Guarulhos Sul SOS Mater Amabilis
Advertise in Brazil
If your business is Electronics, components or devices, this site is the correct place to insert your advertisement (see more)