O Site do Hardware Livre - OSHW

Problemas de recepção de TV (TEL051)

De nada adianta ter feito uma excelente escolha na hora de comprar um novo televisor, atentando paras as características do aparelho, do local em que ele vai funcionar dentro de sua casa, enfim nos mínimos detalhes internos, se na hora de colocá-lo em funcionamento a qualidade da recepção for decepcionante justamente por não se ter feito a escolha e a instalação correta do sistema de antenas. Se você tem problemas de recepção em sua localidade e não pretende que isso afete a qualidade de recepção que seu novo televisor pode lhe proporcionar, veja neste artigo quais são os principais problemas que ocorrem e como eles podem ser solucionados.

 

 

Apesar de ter sido escrito em 1995, este artigo é útil para quem ainda recebe sinais de TV pelo método tradicional (terrestre) com uma antena externa de VHF ou UHF.

 

Os televisores modernos possuem todos os recursos que permitem obter o melhor som e a melhor imagem, com o máximo de conforto para o telespectador.

No entanto, existe uma condição muito importante, e que normalmente não levada em conta pelos interessados na compra de um novo aparelho, e de que depende totalmente a qualidade da recepção: o sinal que a estação envia deve estar presente na entrada do televisor sem alterações.

Um receptor de TV reproduz exatamente o sinal que ele recebe: se o televisor for bom e o sinal for perfeito, a recepção será perfeita com uma imagem límpida e com todos os pormenores originalmente captados pela câmara, fielmente reproduzidos.

Neste artigo ensinamos o leitor como escolher um bom televisor, o que corresponde a uma primeira condição importante para se ter uma boa qualidade de imagem. No entanto, naquele artigo não vimos de que modo a condição importante, que é justamente a de fazer com que o sinal chegue ao seu televisor sem alterações, pode ser conseguida.

 

Não é só da qualidade do televisor que depende uma boa recepção.
Não é só da qualidade do televisor que depende uma boa recepção.

 

 

OS PROBLEMAS QUE O SINAL ENCONTRA ATÉ SEU TELEVISOR

O elo fraco do sistema de TV que começa no momento em que a cena é captada e termina quando ela é reproduzida no seu televisor é o percurso da antena da estação transmissora até a entrada do seu televisor.

 

Alguns problemas na recepção de sinais de TV em VHF e UHF.
Alguns problemas na recepção de sinais de TV em VHF e UHF.

 

O sinal irradiado é de alta frequência, na faixa de VHF e UHF para a TV convencional e UHF e SHF para a TV por assinatura e pode ter diversos tipos de problemas na sua trajetória até o televisor.

Vamos analisar alguns dos problemas que podem ocorrer e que estão detalhados na própria figura 2:

 

(A) INTENSIDADE

Os sinais enfraquecem à medida que se afastam da antena transmissora, o que quer dizer que, quanto mais longe você estiver da estação, mais fracos se tornam esses sinais.

Se a estação for muito potente, pode ainda chegar um sinal até sua casa com intensidade suficiente para resultar numa boa imagem.

No entanto, se você morar muito longe da estação e além disso ela for fraca o sinal pode enfraquecer tanto que, ao chegar na sua antena ele não terá intensidade suficiente para excitar os circuitos de seu televisor.

De fato, uma característica importante de um televisor, que nem sempre é levada em conta na sua compra é a SENSIBILIDADE.

A sensibilidade, expressa em microvolts (uV) indica quanto de sinal o televisor precisa para reproduzir uma imagem perfeita.

Se o sinal que chegar ao seu televisor tiver uma intensidade abaixo da exigida, os circuitos não são devidamente excitados e diversos problemas podem ocorrer.

Um deles é que o ruído gerado pelos próprios circuitos eletrônicos começa a prevalecer sobre o sinal, manifestando-se na forma de "chuviscos" conforme mostra a figura 3.

 

Com um sinal, o ruído não prevalece e o  chuvisco desaparece.
Com um sinal, o ruído não prevalece e o chuvisco desaparece.

 

Outro problema é que os ruídos que existem normalmente na atmosfera (gerados por descargas elétricas naturais, por motores elétricos, por aparelhos de uso comum, carros, etc.) passam a predominar sobre os sinais e com isso, novamente se manifestam na forma de chuviscos na imagem.

Um sinal de baixa intensidade na entrada do televisor não tem origem somente no percurso da antena da estação até sua antena, conforme veremos mais adiante.

 

(B) OBSTÁCULOS

Os sinais de TV, como as ondas de luz não fazem curvas e por isso encontram dificuldades em contornar obstáculos. Assim, se entre sua casa e a estação transmissora existir um obstáculo de grande porte como uma montanha, um prédio ou uma grande estrutura metálica, os sinais de TV podem ser bloqueados.

O bloqueio depende não só do tamanho do obstáculo como também de sua frequência. Assim, os sinais da faixa de UHF e SFH são muito mais sensíveis a estes obstáculos do que os sinais de VHF.

A própria curvatura da terra é um obstáculo para os sinais que não podem ir muito além da linha do horizonte. Para que estes sinais possam ser captados muito longe, quando a curvatura da terra já se torna um problema, a solução mais utilizada está na elevação da antena receptora de modo que ela possa "ver" a estação transmissora.(1)

Um fenômeno importante que pode ser aproveitado para se contornar o problema dos obstáculos é a refração.

Os sinais de TV, assim como as ondas de luz, podem se curvar ao passar pelas "quinas" dos objetos, num fenômeno denominado refração (2).

Os sinais refratados podem então ser captados se "apontarmos" as antenas para as quinas dos obstáculos.

 

(C) REFLEXÕES

Os sinais de TV podem refletir em obstáculos de grande porte tais como morros, montanhas, prédios e grandes estruturas metálicas e até mesmo outras antenas.

Quando isso ocorre, podem chegar à sua antena, vindo da mesma estação sinais que fazem percursos diferentes: um mais curto que vem direto da estação e outro mais longo que refletiu em algum obstáculo.

O resultado dessa diferença de percursos é uma diferença de tempos que afeta os circuitos que devem reproduzir a imagem no sentido que eles passam a "perceber" duas imagens: uma delas no tempo certo e outro defasada, ou seja, deslocada no tempo o que se traduz num deslocamento no espaço de reprodução que é a tela.

O resultado disso é a produção de imagens duplas, com contornos duplos ou ainda múltiplos, conforme mostra a figura 4.

 

Tipos de fantasmas
Tipos de fantasmas

 

 

Os contornos múltiplos ocorrem se a reflexão ocorrer em diversos locais.

Essas imagens deslocadas recebem o nome de "fantasmas" e são bastante desagradáveis.

Um tipo interessante de "fantasma" é o causado pelas reflexões dos sinais em aviões. Como os aviões estão em movimento, os "fantasmas" também se movem na tela, instabilizando o funcionamento do televisor.

Alertamos entretanto que esses "fantasmas" também podem ter outras origens, conforme será explicado mais adiante.

 

(D) INTERFERÊNCIAS E RUÍDOS

Os receptores de TV devem receber os sinais das estações que preenchem uma determinada faixa de frequências. Se bem que o espectro tenha o seu espaço reservado para as emissões das estações, diversos fenômenos, naturais ou artificiais, podem gerar sinais na mesma faixa de frequência que resultados desagradáveis para a imagem e até mesmo o som.

Esses sinais indevidos, de origem artificial e cuja produção tenha um padrão definido recebem o nome de interferências. Os sinais indevidos que têm origem natural ou que não tenham um padrão definido recebem o nome de ruídos.

Os ruídos normalmente se espalham por uma larga faixa do espectro e assim não costumam afetar um único canal, mas diversos canais ou todos os canais quando se manifestam. Já as interferências têm frequências únicas ou ocupam faixas estreitas e por isso afetam um ou poucos canais, conforme sugere a figura 5.

 

Interferências e ruídos nos canais de VHF.
Interferências e ruídos nos canais de VHF.

 

Exemplos de ruídos são os gerados pelos raios, por motores elétricos cujas escovas comutadoras emitem sinais que ocupam uma ampla faixa do espectro, as velas dos carros.

Os circuitos dos televisores quando recebem estes sinais com intensidade suficiente para que eles superem o sinal da estação que está sendo captada pode interpretá-los como pequenos traços brancos e pretos na imagem ou chuviscos, podem ter o sincronismo instabilizado com a imagem correndo, ou então reproduzindo-os na forma de estalos e chiados no som.

 

Sincronismo e som pertubados por interferências e ruídos fortes.
Sincronismo e som pertubados por interferências e ruídos fortes.

 

Exemplos de interferências são as geradas por video-games, computadores e mesmo transmissores de rádio que operam nas proximidades.

 

Vídeo-games, aparelhos de DVDs e computadores podem irradiar interferências.
Vídeo-games, aparelhos de DVDs e computadores podem irradiar interferências.

 

Estas interferências, se suficientemente fortes podem "apagar" a imagem, gerar ondulações, afetar o sincronismo e até mesmo "entrar" no som, quando então ouvimos o operador do transmissor.

 

(E) SENSIBILIDADE DA ANTENA

As antenas não são todas iguais. A capacidade de uma antena de "colher" sinais de uma determinada faixa de frequência é dada pelo seu ganho.

Assim, se o sinal chega a um local muito fraco para termos a possibilidade de excitar o televisor precisamos "colher" mais energia. Isso significa que precisamos de uma antena de maior ganho, ou seja, mais "sensível".

As sensibilidades das antenas são expressas em decibéis (dB) e normalmente estão associadas ao número de "varetas". As antenas com maior número de varetas são aquelas que apresentam maior sensibilidade.

Veja, entretanto, que as antenas são dimensionadas para operar em faixas específicas de frequências. Uma antena de VHF não serve para captar sinais de UHF e vice versa.

 

As antenas são dimensionadas de acordo com a freqüência dos canais captados.
As antenas são dimensionadas de acordo com a freqüência dos canais captados.

 

 

(F) DIRETIVIDADE

As antenas podem funcionar como "lentes" apontando para determinadas direções de onde podem receber melhor os sinais evitando outros que venham lateralmente. Concentrando essa capacidade na direção da estação as antenas podem ter melhor rendimento e ainda rejeitar os sinais que venham lateralmente como, por exemplo, o de interferências e de reflexões que causam fantasmas, evitando tais problemas.

A diretividade de uma antena, entretanto, exige que você aponte corretamente a antena para a estação. Se você não fizer isso a antena não conseguirá captar os sinais que seu televisor precisa para funcionar apropriadamente.

 

Observando a diretividade das antenas.
Observando a diretividade das antenas.

 

 

(G) POLARIZAÇÃO

As posições das varetas da antena na sua instalação são importantes para receber de maneira correta os sinais de TV. Os sinais de TV são polarizados, ou seja, têm um determinado sentido de vibração que correspondem justamente a posição em que as varetas da antena devem ficar.

Se os sinais forem polarizados horizontalmente, as varetas das antenas devem ficar com a mesma orientação no sentido de captá-los. Além disso, esta posição impede que os sinais refletidos no solo no percurso da estação sejam captados, pois esta reflexão só ocorre com sinais polarizados verticalmente.

Às vezes pequenas mudanças de posição da antena, em relação à sua polarização, pode ajudar a impedir que sinais refletidos sejam captados, ou seja, ajuda a evitar fantasmas.

 

(H) CASAMENTOS DE IMPEDÂNCIAS

Chegamos ao ponto em que o sinal deve ser transmitido da antena até a entrada do televisor.

Não basta usar um cabo qualquer ligado de qualquer maneira em quantas antenas ou televisores desejarmos usar.

As antenas, os cabos e os televisores possuem uma característica denominada impedância que indica de que modo eles devem receber a energia dos sinais e de que modo devem transmiti-la.

A impedância é medida em ?, e deve haver uma concordância de valores entre todos os dispositivos interligados, ou seja, antena, cabo e TV, para que o sinal passe "suavemente" sem ter problemas.

Se ligarmos dispositivos de impedâncias diferentes, por exemplo, um cabo de 75 ? numa entrada de 300 ?, teremos dois problemas basicamente: um deles é que a energia do sinal não é transferida corretamente ocorrendo perdas ou enfraquecimentos. Com isso, uma imagem que poderia ser boa, pode ser deteriorada a ponto de apresentar chuviscos ou mesmo falta de contraste.

Outro problema é a reflexão do sinal não transferido que pode "ir e voltar" pelo cabo, causando assim o aparecimento de fantasmas ou imagens múltiplas.

 

Cabos mal-instalados causam reflexões se sinal com o aparecimento de fantasma.
Cabos mal-instalados causam reflexões se sinal com o aparecimento de fantasma.

 

O uso de cabos e dispositivos corretos para o casamento de impedâncias quando diversas antenas são usadas, ou quando diversos televisores são ligados a um mesmo sistema de antena é fundamental para uma boa recepção.

 

(I) INTERFERÊNCIAS E RUÍDOS NOS CABOS

As interferências e ruídos não são captados exclusivamente pelas antenas.

Os fios paralelos (300 ?) de antenas são especialmente sensíveis a interferências e ruídos, funcionando como verdadeiras antenas na sua captação. É por este motivo, que este tipo de fio de ligação de antenas não deve ser muito longo e nem deve passar por locais que possam ser fonte de interferências e ruídos.

Uma fita paralela de 300 ? que passe junto de fios da rede de energia ou perto de lâmpadas fluorescentes pode captar toda a "sujeira" que estes circuitos geram e introduzi-las na imagem com uma recepção cheia de chuviscos, traços, ondulações e até perda de sincronismo.

Os cabos coaxiais de 75 ? são menos sensíveis a estes problemas, mas ainda assim você deve evitar instalá-los perto de linhas de energia ou dispositivos que possam gerar interferências. Evite usar o mesmo conduite para os cabos de energia e para a antena na instalação elétrica de sua casa.

 

(J) EMENDAS

As emendas nos cabos de antena são pontos críticos para se obter uma boa qualidade de imagem. Uma emenda mal feita tanto pode modificar a impedância do sistema causando perdas e reflexões dos sinais (com o aparecimento de chuviscos e fantasmas) como ainda podem funcionar como pontos de entrada de ruídos e interferências.

Evite as emendas, mas se tiver que fazê-las certifique-se de que sejam perfeitas e suficientemente pequenas para não funcionarem como antenas.

 

Evite as emendas nos cabos de antena (principalmente em UHF).
Evite as emendas nos cabos de antena (principalmente em UHF).

 

 

(K) ACOPLAMENTO AO TELEVISOR

Os sinais que chegaram até a entrada do televisor sem problemas, ou com um mínimo de problemas devem ser transferidos aos circuitos de entrada sem alterações.

Os televisores possuem dois tipos de entradas, com impedâncias de 300 ? e de 75 ? que correspondem aos cabos mais usados.

Para que o sinal passe sem problemas, deve haver um casamento correto de impedâncias, ou seja, devemos ligar o cabo de 75 ? na entrada de 75 ? ou o cabo de 300 ? na entrada de 300 ?.

Se isso não for feito o sinal passa com perdas e ocorrem ainda reflexões que, conforme vimos são as principais causadoras de fantasmas.

Se o seu televisor tiver somente uma entrada e o cabo for de outra impedância deve ser usado o adaptador.

 

Usando um adaptador, simetrizador ou balun.
Usando um adaptador, simetrizador ou balun.

 

 

SOLUCIONANDO OS PROBLEMAS

Vimos nos itens anteriores tudo que pode ocorrer no trajeto do sinal da estação até a entrada do televisor e como os diversos elementos encontrados neste trajeto tais como antenas, cabos e adaptadores podem influir na qualidade da imagem.

Se o leitor acha que toda sua instalação de antenas está correta mas ainda tem problemas, vamos analisar alguns desses problemas e como eles podem ser solucionados.

 

(A) RECEPÇÃO POBRE

Por diversos motivos, como por exemplo a distância muito grande da estação, presença de obstáculos, o sinal que chega até sua casa é fraco.

Diversas são as soluções possíveis para este caso, e que analisamos a seguir:

1. Verificar a orientação da antena, pois ela pode não estar apontada para a direção de onde vêm os sinais.

2. Verificar se não existe na direção da antena um obstáculo que possa bloquear o sinal, como por exemplo um prédio, um morro, ou uma grande estrutura metálica. Neste caso, se for possível mudar de posição a antena no telhado ou elevá-la colocando num mastro mais alto, podemos ter a solução do problema.

 

Os sianis não podem contornar obstáculos. A antena precisa estar onde eles chegam.
Os sianis não podem contornar obstáculos. A antena precisa estar onde eles chegam.

 

Se o obstáculo for de porte muito grande e isso não resolver existem duas soluções interessantes que podem ser tentadas se nenhuma outra resolver:

* Uma delas consiste em se aproveitar o sinal refletido num morro ou prédio que esteja numa posição favorável. Apontando a antena para prédios e morros nas posições laterais que possam refletir o sinal é possível encontrar um suficientemente forte para resultar numa boa recepção.

* Outra solução interessante consiste em se apontar a antena para a "quina" do obstáculo, como por exemplo morros e prédios, pois neste ponto é possível ter um sinal refratado, ou seja, aproveita-se a refração ou pequeno desvio que o sinal pode sofrer ao passar por ali. conforme mostra a figura 14.

 

Aproveitando a refração em locais montanhosos ou com obstáculos para o sinal.
Aproveitando a refração em locais montanhosos ou com obstáculos para o sinal.

 

 

3. Melhor antena

Uma antena com mais elementos e portanto maior ganho pode "colher" mais energia do sinal da estação.

Evidentemente, uma antena de maior ganho também é mais direcional, exigindo mais cuidado no seu posicionamento.

4. Se o sinal for fraco no televisor, mas chegar forte na antena, o que pode ser constatado se você levar até perto da antena um televisor portátil e ele "pegar bem", o problema pode estar em perdas que ocorrem no cabo de descida até o televisor.

Se o cabo for muito longo, ou se você alimentar mais de um televisor com a mesma antena, este problema pode ser grave, mesmo com sinais que, em outras condições ainda sejam bons para resultar numa boa recepção.

A solução para este problema é o amplificador de antena ou "booster" que é colocado junto à antena, conforme mostra a figura 15.

 

 

Uso do booster ou amplificador de sinais.
Uso do booster ou amplificador de sinais.

 

Veja que o booster pode amplificar os sinais de uma estação, de uma faixa de frequências (VHF inferior, VHF superior ou UHF) devendo por isso o instalador verificar qual é o canal a ser reforçado ou canais.

Na figura 16 mostramos um caso de que uma antena separada para um canal "fraco" é usada com booster enquanto que as demais não precisam.

 

Antenas separadas podem resolver problemas de canais mais fracos.
Antenas separadas podem resolver problemas de canais mais fracos.

 

Mas, atenção: o booster só amplifica os sinais que chegam até sua antena. Se na antena não existem sinais, ou seja, nada é captado, a ligação do amplificador não resolve pois ele não terá o que amplificar! Da mesma forma, se o sinal que chegar à antena for muito fraco e, portanto os ruídos se sobrepuserem à informação, os ruídos também serão amplificados: o resultado será uma imagem viva cheia de contrastes e cheia de chuviscos!

 

4. Cabos corretos

Se o sinal chega bem a antena mas não chega ao televisor mesmo sendo pequeno o comprimento dos cabos usados, verifique se estes cabos estão instalados corretamente, se não existem emendas falhas; se os adaptadores, quando usados, estão corretamente instalados; se os cabos estão bem conectados (sem maus contactos) aos conectores e finalmente se não existe nenhuma interrupção nos cabos.

O teste de continuidade de um fio (para detectar interrupções) é feito com um multímetro comum da forma indicada na figura 17.

 

Testando um cabo com o multímetro.
Testando um cabo com o multímetro.

 

 

(B) FANTASMAS

Este é sem dúvida o problema mais desagradável para um possuidor (infeliz) de um televisor. Conforme vimos temos duas origens possíveis para este problema: reflexões em obstáculos pelo sinal que vem pelo espaço, e reflexão do sinal no cabo que o transporta da antena ao televisor.

É muito fácil saber qual é a origem do fantasma que aparece no seu televisor: se, ao movimentar a antena levemente a imagem sofre alteração mas o fantasma se mantém inalterado, a reflexão está ocorrendo no cabo. Se o fantasmas se modifica acentuadamente quando você move a antena e com certeza ele ocorre por reflexões em objetos externos (morros, prédios, etc.).

As soluções indicadas para este problema são as seguintes:

* Fantasmas por reflexões do sinal no percurso da estação até a antena:

a) Mude de posição a antena no telhado de sua casa, procurando uma que minimize o problema. Para a faixa de UHF que é mais sensível ao problema, um deslocamento de alguns centímetros pode ser suficiente para eliminar um fantasma. A mudança tanto pode ser um deslocamento lateral como uma elevação.

b) Modifique levemente a polarização da antena, inclinando-a para um lado ou outro. Este procedimento atenua um pouco o sinal principal, mas em compensação os efeitos da atenuação são maiores no sinal refletido causador do fantasma.

c) Utilize uma antena de maior diretividade. Uma antena mais direcional tende a bloquear os sinais que incidem lateralmente e que são responsáveis pelos fantasmas.

d) Afaste a antena de outras que estejam muito próximas e que podem causar reflexões e portanto problemas de fantasmas. Se no mesmo mastro você tiver diversas antenas as que correspondem aos canais mais baixos devem ficar na posição inferior e a separação entre elas deve ser de pelo menos 1,2 metros, conforme mostra a figura 18.

 

Disposição correta, antena num mesmo mastro.
Disposição correta, antena num mesmo mastro.

 

A utilização de mastros separados, em alguns casos, pode ajudar bastante na eliminação de fantasmas inconvenientes.

 

* Fantasmas por reflexões nos cabos

a) Verifique as os cabos estão corretamente instalados e se adaptadores de impedâncias (baluns) estão sendo usados onde necessários. Verifique todas as emendas dos fios ou cabos usados.

b) Não alimente dois televisores pela mesma antena sem usar o divisor de sinais.

c) Se usar mais de uma antena, verifique se a ligação das duas num mesmo cabo de descida está sendo feito de modo correto com um misturador, conforme mostra a figura 19.

 

Usando um mistirador de sinais UHF + VHF
Usando um mistirador de sinais UHF + VHF

 

 

C) INTERFERÊNCIAS E RUÍDOS

Os ruídos podem ter duas origens: uma o próprio sinal fraco que permite que ruídos naturais se sobreponham em intensidade e apareçam como chuviscos. Outra é a presença de dispositivos como motores elétricos, lâmpadas fluorescentes que geram estes ruídos com grande intensidade permitindo que eles ultrapassem a intensidade do sinal e com isso apareçam na imagem na forma de linhas, chuviscos, franjas de interferências, etc.

As interferências são geradas por equipamentos de comunicações próximos ou mesmo aparelhos eletrônicos que gerem sinais tais como videogames, videocassetes e computadores.

Vejamos como eliminar estes problemas:

Verifique inicialmente se pode identificar a fonte de ruído ou interferência, se está entrando pela antena e/ou cabo de descida ou se está entrando pela rede de energia.

 

a) Experimente mudar de tomada o televisor, de preferência ligando-o num outro ponto da casa por meio de uma extensão no momento em que a interferência se manifestar. Se ela reduzir é sinal que está entrando pela rede de energia, conforme sugere a figura 20.

 

 

A interferência e ruído se propagam pela rede de energia.
A interferência e ruído se propagam pela rede de energia.

 

A mudança de tomada ou a utilização de filtros são as soluções indicadas para este problema.

 

b) Afaste a antena de cabos de transmissão de energia ou de outras antenas que possam estar transmitindo a interferência. Faça experiências mudando de posição tanto a antena como o próprio cabo, de modo a determinar se a interferência ou ruídos diminuem, caso não tenha idéia de sua origem.

Um videogame ou videocassete de um vizinho indevidamente ligado pode irradiar sinais interferentes para sua TV, aparecendo então linhas e ondulações na imagem.

Também será interessante afastar a antena da rua, pois os veículos irradiam interferências produzidas pelo sistema de ignição.

 

c) Verifique se o cabo de descida da antena não está passando perto demais de fios de energia que possam estar irradiando ruídos. Motores elétricos, máquinas de solda, instalações de fluorescentes podem irradiar ruídos que entram pelo cabo de antena ou pela própria antena, dependendo de sua localização.

 

d) Se a interferência for identificada como uma emissora de FM próxima podem ser usados filtros que são adquiridos em casas especializadas e que bloqueiam a frequência da estação. No entanto, este é um caso mais difícil que exige a identificação da estação.

 

e) Se você identificar um radioamador ou um serviço público de comunicações, ouvindo a vóz do operador no canal de TV sintonizado, não tenha medo de reclamar. A TVI (Interferência em TV) é proibida e é obrigação de quem interfere fazer sua eliminação, ajustando o equipamento ou a antena. Se o operador se negar ele pode ser denunciado, devendo então prestar contas pelo que causa.

 

 

CONCLUSÃO

Os problemas e as soluções que abordamos não esgotam a matéria. Na verdade, cada caso é um caso, e o estudo das condições em que o problema ocorre é matéria para especialistas.

Assim, para os amadores ou os que gostam de "dar uma mexida" nos fios e na antena, o que damos neste artigo é uma série de idéias que podem ajudar na eliminação de problemas comuns de recepção que afetam 90% dos televisores. Os outros 10%, entretanto, podem não ser tão simples.

Se o leitor está incluído nos 90%, parabéns, pois terá grande probabilidade de ter uma recepção a altura da qualidade do seu televisor, no qual muito dinheiro foi investido. Se estiver nos 10% restante: chame um especialista, pois ele somente poderá lhe dar a solução de seu problema de recepção (mesmo ele, pode ter pela frente um problema insolúvel caso em que lhe fará uma simples recomendação:

- Instale uma parabólica. (*)

 

(*) Porque a parabólica e quando ela vantajosa é algo que abordamos no artigo "Parabólicas sem problemas"

BUSCAR DATASHEET

 


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

 

Opinião

As Atividades do Momento (OP193)

Tivemos duas semanas cheias com lançamentos de livros, eventos, entrevistas e encontros importantes que certamente reverterão em benefícios para aqueles que nos acompanham, tanto no nosso site como em nosso canal de vídeo. Começamos pela entrevista dada ao Luis Carlos Burgos do site Burgos Eletrônica em que falamos um pouco de nossa vida profissional e de nossas pretensões para o futuro.

Leia mais...

Invejoso
Os invejosos invejam-se reciprocamente.
Joaquim Nabuco - Ver mais frases


Instituto Newton C Braga
Entre em contato - Como Anunciar - Políticas do Site

Apoio Social
Lions Clube de Guarulhos Sul SOS Mater Amabilis
Advertise in Brazil
If your business is Electronics, components or devices, this site is the correct place to insert your advertisement (see more)