Controle de Velocidade DC (ART1981)

Escrito por Newton C Braga

Muitos gravadores comerciais, toca-fitas e mesmo toca-discos usam este circuito da Sanyo para controlar a velocidade de motores de corrente contínua de até 1 A. Você pode aproveitar esta configuração para ter um controle perfeito da velocidade do seu motor de até 12 V.

O controle que descrevemos neste artigo baseia-se no circuito integrado LA55 11 (ou LA5512) da Sanyo, que é apresentado em invólucro semelhante ao TO-22O com 4 terminais, e que, por precisar de poucos elementos adicionais externos, facilita bastante o projeto de um controle de velocidade.

O circuito é indicado para motores de 6 a 12 V com correntes de até 1A.

 

Características

Faixa de tensões de operação: 6 a 12 V

Corrente máxima: 1 A

Resistência de controle: 100 k ohms (max)

Dissipação máxima do CI: 560 mW

Tensão de referência: 1,16 V (tip)

Corrente quiescente do integrado: 1,2 mA

Fator k: 25 para o LA55 12 e 50 para o LA55 11

 

 

COMO FUNCIONA

Internamente, os circuitos integrados LA5511 e LA55 12 têm a configuração mostrada na figura 1.

 

Figura 1 – Circuito do LA5511 e LA5512
Figura 1 – Circuito do LA5511 e LA5512

 

Esta configuração tem um comparador que, em função de uma referência de tensão, determina o ponto de condução dos transistores de saída, mantendo assim a velocidade do motor conforme o ajuste externo dado por P1.

A relação de shunt (k) do controle depende do tipo, pode ser 25 ou 50, e esta relação determina o dimensionamento de RT.

 

MONTAGEM

Na figura 2 temos o diagrama completo do controle de velocidade para pequenos motores de corrente contínua.

 

 Figura 2 – Diagrama do controle DC
Figura 2 – Diagrama do controle DC

 

Na figura 3 temos a disposição dos componentes numa placa de circuito impresso.

 

   Figura 3 – Placa de circuito impresso para o controle
Figura 3 – Placa de circuito impresso para o controle

 

O diodo admite equivalente, e os capacitores devem ter tensões de trabalho maiores do que as usadas na alimentação.

O circuito integrado deve ser dotado de um radiador de calor.

O motor pode ter uma corrente máxima de 1 A.

 

PROVA USO

Para provar o aparelho, basta ligar na saída um pequeno motor decorrente contínua e alimentá-lo. Ajuste então P1 para observar a faixa de variação da velocidade.

Comprovado o funcionamento é só usar o aparelho.

 

Semicondutores:

CI1 - LA5511 ou LA5512 - Circuito integrado Sanyo

D1 - 1N4002 - diodo de silício

 

Resistores (1 /8 W, 5%):

RT - ver texto

P1 - potenciômetro de 47 k ohms

 

Capacitores:

C1 - 4,7 uF - eletrolítico

C2 - 100 nF – poliéster ou cerâmico

 

Diversos.

Placa de circuito impressa, radiador de calor para o circuito integrado, botão para o potenciômetro, fios, solda etc.