Amplificador de 7 W LM383 (ART1978)

Escrito por Newton C Braga

Com base num único circuito integrado LM383, da National Semioonductor, escrevemos um amplificador de 7 W alimentado com tensão de 14, 4 V. Este amplificador pode ser usado em intercomunicadores, sistemas de distribuição de som, como reforçador para pequenos rádios, em receptores e em muitas outras aplicações interessantes.

Obs. Este artigo é de 1993

 

Apresentado em encapsulamento SIL de 5 pinos, este circuito integrado facilita o projeto de amplificadores de média potência pelos poucos componentes externos que necessita.

O circuito pode operar com tensões de 5 a 20 V, o que o torna interessante para ser usado com pequenas fontes de alimentação ou no carro, como amplificador de reforço.

A resposta em frequência deste amplificador se estende até os 30 kHz, o que significa uma excelente qualidade de som, já que a distorção harmônica total (THD) para 4 W com 2,52 de carga e uma frequência de 1 kHz é de apenas 0,2%.

 

Características:

Faixa de tensões de alimentação: 5 a 20 V

Pico de corrente de saída.: 3,5 A

Resistência de entrada: 150 k ohms

Faixa de frequências de operação: até 30 kHz

Rejeição de ripple: 40 dB (tip)

Potência de saída:

- (13,2 V, 4 S2): 4,7 W

- (13,2 V, 2 S2): 7 W

 

Na figura 1 temos o diagrama completo do amplificador.

 

   Figura 1 – Diagrama completo do amplificador
Figura 1 – Diagrama completo do amplificador

 

O sinal é aplicado à entrada não inversora via controle de volume. O ganho do circuito é determinado pela rede de realimentação com base em R2 e R1.

Os componentes C3 e R3 mantém constante a impedância de saída quando a frequência do sinal aumenta.

C4 desacopla a fonte, devendo ser montado o mais próximo possível do pino 5 do circuito integrado.

O capacitor C5 faz o acoplamento de sinal ao alto-falante. Valores menores cortam as frequências mais baixas, reduzindo assim a resposta aos graves.

A disposição dos componentes numa placa do circuito impresso é sugerida na figura 2.

 

   Figura 2 – Placa para a montagem
Figura 2 – Placa para a montagem

 

Observe que as trilhas para a alimentação e saída devem ser mais grossas em vista da intensidade das correntes.

O circuito integrado deve ser dotado de um radiador de calor, e o alto-falante deve estar apto a reproduzir a potência do amplificador

Para a entrada de sinal deve ser usado um potenciômetro. Se for usada fonte, deve ter excelente filtragem e pelo menos 1,5 A. de corrente sob 12 V.

A caixa que alojará o aparelho deve ser metálica para servir de blindagem de modo a não haver a captação de zumbidos.

Para provar o amplificador basta ligá-lo a uma fonte de alimentação e aplicar um sinal na sua entrada.

Se houver ronco ou distorções verifique as blindagens dos cabos de sinal e/ou filtragem da fonte de alimentação, os cabos blindados de sinal devem ter suas malhas aterradas.

Para uma versão estéreo a fonte deve ter o dobro da capacidade de corrente indicada para um único canal.

 

Semicondutor:

Ci1 - LM383 - Circuito Integrado National Semiconductor

 

Resistores (1/8 W, 5%):

R1 - 2,2 ohms

R2 - 220 ohms

R3 -.1 ohm

P1 - potenciômetro log de 100 k ohms

 

Capacitores:

C1 - 10 uF - eletrolítico de 16 V

C2 - 470 [LF - eletrolítico de 16 V

C3, C4 - 220 nF – poliéster ou cerâmico

C5 - 2 200 uF - eletrolítico de 16 V

 

Diversos:

FTE - 2 ou 4 ohms - alto-falante de pelo menos 10 W

Placa de circuito impresso, radiador de calor para o circuito integrado, caixa para montagem, jaque de entrada, cabo blindado, botão para o potenciômetro, fios, solda etc.