Flash Auxiliar (ART1958)

Escrito por Newton C Braga

Com dois flashes operando simultaneamente é possível obter fotos sem sombras e com isso muito melhores. O uso do flash auxiliar é simples e sua montagem também, conforme veremos neste artigo.

Um dos problemas do uso de um flash único nas fotos em ambientes interiores é o aparecimento de uma sombra que não pode ser evitada, a não ser que usássemos uma fonte extensa de luz.

Conforme mostra a figura 1, ao bater uma foto a sombra do flash aparece com um efeito desagradável.

 

Figura 1 – Sombra em foto
Figura 1 – Sombra em foto

 

Uma maneira simples de se evitar esta sombra é a utilização de dois flashes: o já existente na máquina e um auxiliar, que é sincronizado pela própria luz do primeiro, conforme sugere a figura 2.

 

   Figura 2 – Usando um flash auxiliar
Figura 2 – Usando um flash auxiliar

 

Dotado de um foto-sensor, o flash auxiliar vê o instante exato em que o primeiro é disparado e também dispara, sem a necessidade de conexões elétricas.

Colocado num ângulo favorável, ele evita o aparecimento das desagradáveis sombras.

Neste artigo ensinamos a montar um flash que pode ser adaptado na maioria dos flashes eletrônicos de pilhas e que faz o seu disparo com excelente sensibilidade.

 

Características:

Tensão de alimentação: 9 V (bateria)

Corrente de operação: 5 mA (aprox.)

Tipo de sensor: foto-transistor Darlington

Alcance 10 m

 

COMO FUNCIONA

Na figura 3 temos o diagrama completo do aparelho.

 

   Figura 3 – Diagrama do flash auxiliar
Figura 3 – Diagrama do flash auxiliar

 

Os pulsos de luz do flash original da máquina são captados pelo foto-transistor Darlington, que é um sensível sensor de luz.

Nestas condições, é produzido um pulso elétrico que será amplificado pelo transistor Q2.

Este transistor, que estava praticamente saturado, com uma tensão relativamente baixa no seu coletor, repentinamente tem um pulso negativo que o leva próximo do corte, com a produção de um pulso em C3 capaz de disparar o SCR.

O SCR é ligado em série com o controle interno do flash que será usado como auxiliar.

Estes flashes, conforme mostra a figura 4, são normalmente dotados de um inversor que carrega um capacitor de grande valor.

 

Figura 4 – Circuito típico de flash
Figura 4 – Circuito típico de flash

 

O disparo do circuito é feito com a descarga deste capacitor numa lâmpada de xenônio.

O pequeno interruptor que estes flashes possuem têm esta finalidade.

Também existem conectores que permitem sua ligação ao próprio interruptor da máquina, que é acionado quando se bate a foto. Devemos ligar este interruptor em paralelo com o SCR. Isso é feito conectando-se o plugue do flash ao circuito auxiliar, como mostra a figura 5.

 

Figura 5 – Conexão para disparo
Figura 5 – Conexão para disparo

 

Desta forma, quando o SCR dispara o efeito será o fechamento do circuito, com a descarga do capacitor interno do flash e o acendimento da lâmpada.

Veja que o SCR deve ser capaz de operar com tensões elevadas e correntes intensas por uma curta fração de tempo.

As tensões nos capacitores dos pequenos flashes estão na faixa dos 400 aos 600 V. Para um novo flash basta apenas esperar que o capacitor interno do mesmo se carregue, o que normalmente é indicado por um LED ou lâmpada neon.

 

MONTAGEM

A disposição dos componentes numa placa de circuito impresso é mostrada na figura 6.

 

Figura 6 – Placa para a montagem
Figura 6 – Placa para a montagem

 

O SCR não precisa de radiador de calor. O foto-transistor pode ser qualquer Darlington; R1 pode ser sensivelmente alterado em função da sensibilidade desejada, assim como R2.

Q2 é um BC548 ou equivalente, e a alimentação vem de uma bateria de 9 V.

O conjunto pode ser alojado numa pequena caixa plástica tendo na parte externa o jaque J1, de acordo com o flash disponível, e o foto-transistor Q1.

 

PROVA E USO

Para provar o aparelho, basta conectar o flash auxiliar e ligar S1.

Depois de esperar que o capacitor do flash auxiliar e do principal se carreguem, aponte o foto-transistor para o flash principal e dispare-o. Deve ocorrer o disparo simultâneo do flash auxiliar.

Comprovado o funcionamento é só usar o aparelho, colocando-o sempre da forma que já foi mostrada na figura 1.

 

Semicondutores:

Q1 - 2N5777 – Foto-transistor Darlington ou equivalente

Q2 - BC548 ou equivalente - transistor NPN de uso geral

SCR - TlC106D - diodo controlado de silício (SCR)

 

Resistores (1/8 W, 5%):

R1, R4 - 10 k ohms (marrom, preto, laranja)

R2 - 330 k ohms (laranja, laranja, amarelo)

R3 - 470 ohms (amarelo, violeta, marrom)

 

Capacitores eletrolíticos de 12 V:

C1 - 220 uF

C2, C3 - 10 uF

 

Diversos:

S1 - interruptor simples

B1 - Bateria de 9 V

J1 - Jaque conforme plugue do flash

Placa de circuito impresso, caixa para montagem, conector de bateria. fios, solda etc.