Sensível Foto Alarme (ART1707)

Escrito por Newton C Braga

A luz que incide num sensor faz com que este circuito acione um relé. Podemos modificar o circuito para que ele opera com a interrupção da luz. O circuito é muito sensível, sendo uma das aplicações possíveis como detector de presença.

Este circuito utiliza qualquer foto-transistor como sensor e até mesmo um foto-diodo, com uma sensibilidade muito grande dado o uso de um transistor amplificador e um amplificador operacional.

A alimentação deve ser feita com 12 V de fonte, dado o uso de um relé para esta tensão.

A carga controlada depende exclusivamente da capacidade dos contatos do relé utilizado.

O circuito funciona com um foto-transistor ligado à base de um transistor amplificador.

O transistor aplica o sinal á entrada não inversora de um amplificador operacional 741 configurado como comparador de tensão.

A tensão de referência que é a tensão sem iluminação, é fixada pelo ajuste de um trimpot ligado à entrada inversora do operacional.

Quando o sensor é iluminado, a saída do operacional que estava no nível baixo vai ao nível alto, saturando o transistor que controla o relé.

Nestas condições o relé fecha seus contatos, ativando uma carga externa, por exemplo, um sistema de alarme.

 

Montagem

Na figura 1 temos o diagrama completo do foto-alarme

 

   Figura 1 – Diagrama do foto-alarme
Figura 1 – Diagrama do foto-alarme

 

A montagem pode ser feita numa pequena placa de circuito impresso com a disposição de componentes mostrada na figura 2.

 

    Figura 2 – Placa de circuito impresso
Figura 2 – Placa de circuito impresso

 

Esta placa prevê o uso de relés com base DIL, mas se forem usados outros tipos o desenho deve ser modificado.

Na montagem, observe a posição do circuito integrado e dos transistores.

Os resistores são de 1/8 W com qualquer tolerância.

Como sensor pode ser usado qualquer tipo de foto-transistor e até mesmo foto-diodos.

Na figura 3 damos o modo de se ligar a etapa sensora de modo a inverter o funcionamento do circuito, que passará a operar com o corte da luz sobre o sensor.

 

   Figura 3 – Modificando para operar com sombra
Figura 3 – Modificando para operar com sombra

 

Na figura 4 temos uma simples fonte de alimentação regulada para alimentar o circuito.

 

   Figura 4 – Fonte de alimentação para o alarme
Figura 4 – Fonte de alimentação para o alarme

 

O transformador pode ter correntes de 300 a 500 mA e o circuito integrado regulador não precisará ser montado em dissipador de calor.

Para controlar uma carga externa, a conexão deve ser feita conforme mostra a figura 5.

 

   Figura 5 – Conexão de uma carga externa
Figura 5 – Conexão de uma carga externa

 

Para testar, instale o sensor num tubinho opaco e aponte para um local escuro.

Ajuste P1 para que o relé fique desligado.

Aponte o sensor para um lugar iluminado, quando então o relé deve fechar seus contatos, ajustando P1 para isso.

Uma lente colocada na frente do tubinho com o sensor permite obter maior diretividade e sensibilidade.

Neste caso, o circuito pode ser usado como um controle remoto acionado por lanterna ou pelo farol de um carro controlando, por exemplo, a abertura de uma porta de garagem.

Da mesma forma, na versão por interrupção ele pode ser usado como alarme de passagem, apenas devendo ser acrescentada a trava ao relé.

Isso poderá ser feito utilizando-se o segundo par de contactos do relé.

 

CI-1 – 741 – circuito integrado

Q1 – qualquer foto-transistor

Q2, Q3 – BC548 – transistor NPN de uso geral

D1- 1N4148 – diodo de uso geral

R1 – 100 k ohms – resistor – marrom, preto, amarelo

R2 – 10 k ohms – resistor – marrom, preto, laranja

P1- 100 k ohms – trimpot ou potenciômetro

C1 – 100 uF x 16 V – capacitor eletrolítico

 

Diversos:

Placa de circuito impresso, caixa para montagem, fonte de alimentação, fios, solda, etc.