O Site do Hardware Livre - OSHW

O que o Fórum das Operadoras Alternativas trouxe de importante ao mercado técnico ?

 lhcb

Luiz Henrique - Duodigit

www.duodigit.com.br

 

No dia 02 de março de 2019 aconteceu no WTC em São Paulo o Fórum das Operadoras Alternativas. Onde o Instituto Newton C. Braga esteve presente cobrindo esse evento que se encontra em sua segunda edição, o evento contou com mais de 200 participantes.
foa001A organização do evento foi feita pela Mobiletime, que trouxe vários palestrantes importantes do setor.

O primeiro painel foi sobre “A maturação das MVNOs no Brasil” ,onde contou com a presença de: Alberto Blanco (CEO da Veek), Anderson Azevedo (diretor comercial de atacado da Vivo), Davi Fraga (CMO da Surf Telecom) e José Luiz Pelosini (vice-presidente da AmericaNet).

Foi debatido o atual cenário das MVNOs (Mobile Virtual Network Operator ou Operador móvel virtual ), onde Anderson Azevedo falou de atendimento diferenciado e como a Operadora Vivo pode fornecer soluções para as MVNOs, atualmente a Operadora VIVO tem 3 empresas operando e com mais 3 em fase de lançamento.
Por outro lado Davi Fraga da Surf Telecom falou sobre serviços agregados como o Mobile Pay da empresa, que é uma plataforma de pagamento móvel, a Surf Telecom consegue auxiliar às empresas que desejam entrar num mercado que é altamente regulado e com várias exigências, onde a plataforma reduz o tempo de todo o processo em 6 meses.
José Pelosi falou sobre nichos de mercado específicos ou complementares, hoje as MVNOs após 10 anos de regulamentação representam menos de 1% do mercado, portando há potencial para crescimento, inclusive com as oportunidades da IoT. Um senso comum foi que o planejamento e o conhecimento do mercado são decisivos para o sucesso .

O Segundo painel foi sobre A infraestrutura nacional para IoT que contou com a presença de: Daniel Laper (head de IoT/LoRa,American Tower), Eduardo Iha (diretor de negócios, WND Brasil), Raquel Aguiar (Embratel – Claro) e Gerson Rolim (CIO - Vecto Mobile).
Daniel Laper falou sobre o plano de instalação da rede LoraWan no Brasil em que hoje cobre 35% do PIB Brasileiro e no final de 2019 será de 50%, em que a American Tower estimula o ecossistema para o desenvolvimento de soluções locais.
O Eduardo Iha que é representante da operadora Sigfox no Brasil falou da maturidade da rede Sigfox e do crescimento dos produtos desenvolvidos no Brasil por empresas como a Sigmais, Duodigit , Reciclapac, Suntech, Loka , Gertrak, uDev, M2M, CAS, AgroSmart, Pluvion e Trace Pack, totalizando 30 empresas nacionais. As soluções já estão escalando com crescimento de 7 vezes nos últimos 7 meses, indo de 1 milhão para 7 milhões de mensagens transmitidas diariamente. Eduardo Iha acrescentou que o sucesso de soluções IoT estão baseadas no tripé: Baixo custo ( dispositivo e conectividade ), Alta cobertura e Baixo consumo de energia.
Raquel Aguiar falou da preocupação da Claro com os clientes de 2G e na migração da rede e do mercado para as redes NB-IoT e CaT-M, que tem recebido muitos clientes para testar produtos nos laboratórios da Claro no Rio de Janeiro, São Paulo e Campinas.
Gerson Rolin falou do foco da Vecto de operar somente em IoT e M2M, hoje a Vecto tem uma solução de Sim Card com múltiplas operadoras e levantou a questão do desligamento da rede 2G para ter um planejamento tecnológico de mercado.
Foi comentado sobre o Plano Nacional de IoT do BNDS, desoneração tributária, e-SIM integrado e processos de homologação Anatel.

 

foa002

Os Cases Apresentados

Case 1 – Banda larga via satélite: um mercado em expansão - Délio Morais, Hughes

Délio Morais da Hughes, falou do perfil dos usuários de internet no Brasil, onde a média de uso é de 5,1 horas/dia em LapTop e 4,2 horas/dia em smartphone e que 61% dos acessos estão em área urbana versus 34% em área rural, que o diferencial do satélite é chegar a lugares onde ninguém chega, que o uso da Banda KA proporcionou conectividade de banda larga em áreas remotas, complementando soluções dos pequenos provedores de conectividade em pequenas cidades.

 

 

Case 2 – Combinação de tecnologias para o monitoramento de frotas - Gustavo Travassos, Maxtrack

Gustavo Travassos da Maxtrack, que é uma empresa nacional na área de rastreamento que tem 3 Milhões de equipamentos comercializados, falou da solução integrada 2G com LoraP2P na área de rastreamento que já conta com 380.000 equipamentos de rastreamento instalados nos últimos 12 meses.
Este é o maior caso de uso em rastreadores no mundo e que há um a previsão de ter 700.000 equipamentos com conectividade em LoraWan pela American Tower.
Gustavo comentou sobre ter o foco em negócio e em escalar a solução, que as tecnologias das novas redes são excelentes soluções para complementar as soluções para os clientes dentro e fora do país.

 


Case 3 Embalagens inteligentes - Rogério Junqueira, Reciclapac

A Reciclapac é uma StartUp incentivada pela Fapesp e SENAI e premiada pela Universidade Oxford na Inglaterra.
Rogério Junqueira mostrou a solução da Reciclapac que faz a gestão de ativos para a Indústria 4.0. Mostrou cases da GM que possui 400.000 embalagens retornáveis das autopeças utilizada na fabricação dos veículos. Reduções de custos e perdas proporcionou economia de tempo em alguns processos que duravam 6 horas e que agora demoram 2 minutos. O sistema é baseado em um TAG IoT com bateria que é conectado nas embalagens, através da rede SIGFOX as informações de localização é enviado para o sistema de gestão. Rogério comentou também do case da CEBRACE que possui 500 clientes em todo Brasil e que obtiveram um resultado de 85% de cobertura da rede Sigfox e que essa porcentagem vem aumentando diariamente devido ao crescimento da rede Sigfox.

foa003

 

 

Painel 3 – O surgimento de redes privadas em 4G e 5G

Os participantes deste painel foram: Hélio Maurício Miranda da Fonseca - gerente de projetos do departamento de banda larga, Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Romero Guimarães - diretor de TI e transformação digital, Agência Estadual de Tecnologia da Informação de Pernambuco e Wilson Cardoso - CTO, Nokia Networks
Romero Guimarães da Agência Estadual de Tecnologia de Pernambuco falou sobre a instalação da rede 4G instalada no estado para suprir as necessidades do governo, falou do modelo de centralização e das reduções de custo.
Hélio Fonseca do MCTIC falou da regulamentação e dos incentivos de governo. Wison Cardoso comentou sobre as oportunidades de microrregiões e da tecnologia da Nokia para atender os projetos de redes privadas.

 

 


Conclusão

O Fórum de Operadoras alternativas se mostrou um excelente espaço para entender a dinâmica do setor e prover interações entre os profissionais da área.

 

Artigos Relacionados

BUSCAR DATASHEET

 


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

 

Opinião

Ser não ser honesto (OP192)

Não há dúvida de que estamos passando por uma época de transformações políticas e sociais. Já não se admite desonestidade na política, e evidentemente em qualquer outro tipo de atividade em nosso país. A pressão tem sido cada vez maior no sentido de erradicar este mal, mas infelizmente ainda vemos que em alguns setores, esta mentalidade parece não estar mudando com a devida velocidade.

Leia mais...

Avarento
O avarento sempre sente necessidade. (Semper avarus eget.)
Horácio (65 8 a.C.) - Epístolas - Ver mais frases


Instituto Newton C Braga
Entre em contato - Como Anunciar - Políticas do Site

Apoio Social
Lions Clube de Guarulhos Sul SOS Mater Amabilis
Advertise in Brazil
If your business is Electronics, components or devices, this site is the correct place to insert your advertisement (see more)