Caça ao Fantasma (MIN010)

Escrito por Newton C Braga

Eis uma brincadeira interessante que pode ser feita com um transmissor de rádio: um invasor desconhecido se encontra escondido em sua casa. Esse invasor emite sinais que podem ser captados em seu radinho portátil. Sua missão é localizar esse invasor neutralizando-o desligando para isso sua alimentação.

Emissões de rádio podem ser localizadas com facilidade pela diretividade das ondas e pela sua intensidade. Podemos fazer isso dentro de um ambiente fechado usando um transmissor experimental e um radinho de pilhas AM.

Essa é a base dessa brincadeira que propomos. Você monta um pequeno transmissor de sinais e o esconde em qualquer parte de sua casa, clube ou escola.

A finalidade da brincadeira é uma missão que deve localizar o transmissor. Quem conseguir fazer isso em primeiro lugar será o vencedor da competição ou desafio.

O transmissor, ensinamos o leitor a montar. O receptor pode ser qualquer rádio portátil de AM (ondas médias). O alcance do aparelho é da ordem de alguns metros, o que exige uma boa habilidade para sua localização.

O transmissor consiste num simples oscilador Hartley com um único transistor, cuja freqüência é determinada pela bobina L1 e pelo ajuste do capacitor variável CV.

C1 e R1 fazem a realimentação do sinal à base do transistor que mantém as oscilações. C2 desacopla a fonte.

Os sinais são irradiados basicamente pela bobina de ferrite não havendo necessidade de antena. Como a bobina tem uma certa característica de diretividade na irradiação, isso ajuda a torna a brincadeira mais difícil.

Os sinais emitidos são de onda contínua (CW), ou seja, apenas a portadora de RF que é sintonizada num rádio comum de AM, aparecendo no alto-falante como uma espécie de "sopro" facilmente identificável, entre as estações.

O baixo consumo do circuito garante uma boa autonomia para as pilhas. Na figura 1 temos o diagrama do transmissor.

 

Diagrama do transmissor.
Diagrama do transmissor.

 

Como se trata de montagem bastante simples, indicada aos iniciantes, sugerimos utilizar uma ponte de terminais, com a disposição de componentes mostrada na figura 2.

 

Montagem sobre ponte de terminais
Montagem sobre ponte de terminais

 

A bobina é enrolada num bastão de ferrite de 1 cm de diâmetro aproximadamente, e de 15 a 25 cm de comprimento, constando de 50 + 50 espiras de fio esmaltado 28 ou próximo.

O capacitor variável é do tipo aproveitado de um velho rádio AM. O transistor admite equivalentes e os capacitores podem ser tanto cerâmicos como de poliéster.

Para provar o aparelho, ligue nas suas proximidades um rádio AM (ondas médias) comum sintonizado numa freqüência livre em torno de 1200 kHz. Ajuste CV até captar o sinal mais forte.

Para brincar, informe seus amigos que devem estar equipados com rádios AM e qual é a freqüência aproximada do sinal do transmissor.

Depois, esconda o transmissor ligado e dê início ao jogo. Cada participante deve explorar o local com seu radinho sintonizado na faixa indicada até encontrar o sinal do transmissor e em função de sua intensiodade, localizá-lo.

Avise seus amigos que é preciso mexer constantemente na sintonia, pois além das pequenas variações que ocorrem nos próprios rádios, o proóprio transmissor flutua sua freqüência que se desloca constantemente.

Normalmente os sinais serão captados quando os receptores se aproximarem a distâncias de 3 a 6 metros do transmissor. Não esconda o transmissor dentro de objetos ou armários de metal pois esses materiais bloqueiam os sinais.

 

Q1 - BC548 - transistor NPN de uso geral

L1 - Bobina - ver texto

CV - capacitor variável - ver texto

S1 - Interruptor simples

B1 - 3 ou 6 V - 2 ou 4 pilhas pequenas

R1 - 10 k ? x 1/8 W - resistor - marrom, preto, ralanja

C1 - 10 nF - capacitor cerâmico ou poliéster

C2 - 100 nF - capacitor cerâmico ou poliéster

Diversos:

Ponte de terminais, suporte de pilhas, caixa para montagem, fios, solda, fios esmaltados, bastão de ferrite, etc.