BeagleBone Black – Primeiras Impressões (MIC113)

Este artigo, de uma série de oito, servirá para analisar as impressões que tive em relação a placa BeagleBone Black. A nossa análise cobrirá desde a instalação da BeagleBone Black até a programação de circuitos simples ( é claro que precisamos ligar pelo menos um led!) a fim de proporcionar ao leitor o que pode ser feito com o hardware da placa. Marcos de Lima Carlos 

 

Características Técnicas

A BeagleBone Black possui as seguintes características:

Característica Atributos
Processador Sitara AM3358 -1Ghz
Memória RAM 512MB DDR3
Video uHDMI
Memória ROM eMMC 2GB
Rede 10/100
Portas USB 1 usb/host 1usb/client
Alimentação 5VDC
Memória Expandida 1 slot uSD
Serial Debug Presente

Tabela 1 – Características Funcionais

 

A figura 1 mostra no circuito quais são essas características diretamente na placa.

 

Figura 1 – Características da Placa BeagleBone Black
Figura 1 – Características da Placa BeagleBone Black

 

Além disso a placa possui possibilidade de expansão nos dois barramentos que possuem as características de acordo com as figuras 2 a 7.

 

Figura 2 – Barramento de expansão
Figura 2 – Barramento de expansão

 

Figura 3 – Barramento de Entrada/Saída Digitais
Figura 3 – Barramento de Entrada/Saída Digitais

 

Figura 4 – PWMs e Timers
Figura 4 – PWMs e Timers

 

 

Figura 5 – Entradas Analógicas
Figura 5 – Entradas Analógicas

 

Figura 6 – µART – Portas seriais
Figura 6 – µART – Portas seriais

 

Figura 7 – Portas I2C
Figura 7 – Portas I2C

 

Figura 8 – Portas SPI
Figura 8 – Portas SPI

 

Além de um hardware poderoso a placa, pelo menos na Revisão A5C que é a placa na qual efetuamos os testes, vêm com uma distribuição Linux Angstrom e uma série de softwares pré-instalados para operação da placa.

 

Passos Iniciais

O primeiro passo é ligar o cabo USB na porta USB client e conectá-lo a um computador.

De acordo com o sistema operacional, aqui foi utilizado um PC com Linux Fedora 22, é necessário baixar os drivers para que a BeagleBone funcione corretamente. Em testes feitos com Windows XP foi necessário instalar os drivers fornecidos pelo site. Os drivers estão disponíveis em: http://beagleboard.org/getting-started#step2 

Ao termino da instalação do driver, caso seja necessário, a placa estará disponível para consulta via rede no seguinte endereço http://192.168.7.2/ Para certificar-se de que tudo está em ordem, pode-se executar os seguintes comandos via terminal:

 

Windows

iniciar  executar → cmd

ipconfig

 

Linux

abra uma janela do terminal

digite ifconfig

 

Com esses comandos o leitor conseguirá ver quais são os dispositivos conectados ao computador.

 

Além do acesso web, há alguns outros tipos de acessos que podem ser feitos pela rede. Pela porta 443 há um cliente SSH (Security Shell Host). Em alguns testes o endereço https://192.168.7.2/ retorna como redirecionamento incorreto. A única vantagem de acessar pelo browser é que não é necessário instalar nenhum programa no PC. Porém para fins didáticos utilizaremos o Putty que pode ser baixado do seguinte link http://www.chiark.greenend.org.uk/~sgtatham/putty/download.html

A primeira tela do putty que configuraremos ficará assim:

 

Tela Inicial do Putty
Tela Inicial do Putty

 

Repare que a primeira seta aponta para o endereço IP da placa, que deve ser digitado na caixa onde está a seta. Logo após o leitor deverá clicar no botão open.

Se tudo der certo a figura abaixo deverá ser vista.

 

Tela inicial
Tela inicial

 

No login deve-se digitar root e na senha aperte o enter. A partir daí você verá o shell do linux na tela. Nos próximos artigos ensinaremos como pode ser operado o shell para efetuar verificações na placa e no sistema.

Por fim, no endereço http://192.168.7.2:3000/, está instalada a IDE da Cloud9 para execução de javascript através do BoneScript. O BoneScript é uma biblioteca em javascript que visa simplificar a programação e a comunicação com as entradas e saídas da BeagleBone.

Figura 10 – IDE Cloud9 – acesso via browserAtravés da IDE da Cloud9 é possível escrever programas em javascript para ter acesso as entradas e saídas da BeagleBone Black. Abordaremos a IDE da Cloud9 no próximo artigo onde faremos alguns programas para ter acesso aos recursos da placa.
Figura 10 – IDE Cloud9 – acesso via browserAtravés da IDE da Cloud9 é possível escrever programas em javascript para ter acesso as entradas e saídas da BeagleBone Black. Abordaremos a IDE da Cloud9 no próximo artigo onde faremos alguns programas para ter acesso aos recursos da placa.

 

Conclusão

No primeiro artigo desta série vimos que a BeagleBone Black possui recursos interessantes, de fácil acesso, que pode ser utilizado por pessoas com pouco conhecimento de eletrônica para que possam ser feitos programas simples e de fácil acesso as entradas e saídas do dispositivo.

Em relação aos similares no mercado: Raspeberry Pi, CubieBoard, BananaPi, entre outros. A BeagleBone possui o diferencial de vir com bibliotecas de programação e uma IDE de fácil acesso gravadas para uso imediato. O custo inicial da placa, sem os famosos shields (ou capes como são chamados os shields no site) é de U$ 55,00.

 

BUSCAR DATASHEET

 


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

 

Opinião

Novembro chegando (OP197)

Novembro é o mês de encerramento das aulas e com isso, diferentemente do que muitos pensam, as atividades estudantis não terminam. Alguns curtirão suas férias, mas outros ficam para exames e mais ainda, precisam terminar seus TCCs.

Leia mais...

Povo
é oportuno que o povo seja guiado e não que seja instruído.(Il est propôs que le peuple soit guide ET non pas quil soit instruit.)
Voltaire (1694 1778) Carta a Damilaville - Ver mais frases


Instituto Newton C Braga
Entre em contato - Como Anunciar - Políticas do Site

Apoio Social
Lions Clube de Guarulhos Sul SOS Mater Amabilis
Advertise in Brazil
If your business is Electronics, components or devices, this site is the correct place to insert your advertisement (see more)