O Site do Hardware Livre - OSHW

Testando relés automotivos com o multímetro (ART032)

Nos automóveis existem relés de diversos tipos, os quais como qualquer componente estão sujeitos à falhas. Como testar estes componentes é algo que todo profissional precisa saber. Neste artigo ensinamos como testar relés utilizando o instrumento mais versátil com que pode contar o leitor para esta finalidade: o multímetro. Como testar componentes elétricos e eletrônicos do automóvel é o assunto de nossos livros “Instrumentação  – Multímetro” – volumes I e II.
O multímetro pode realizar basicamente dois tipos de provas em relés comuns de 12 V ou mesmo 6 V, do tipo encontrado em instalações elétricas de automóveis, motos e máquinas agrícolas. Os testes são:
- De continuidade
- De contacto
Existem diversos tipos de relés no circuito elétrico de um automóvel, exercendo as mais variadas funções. Basicamente estes relés são formados por uma bobina e um jogo de contactos. Podemos utilizar o multímetro diretamente na verificação do estado da bobina e dos contactos e até fazer uma prova dinâmica com a ajuda de uma fonte de 12 V ou uma bateria.

 


Relés comuns de uso automotivo da Germes (China).

 


Prova de Continuidade - Procedimento
a)Coloque o multímetro na escala mais baixa de resistências, OHMS x1 ou OHMS x10. Se for digital use as escalas de 200 ou 2000 ohms ou a função de continuidade.
b)Zere o multímetro se for analógico
c)Identifique os contactos da bobina do relé e faça a medida de sua resistência. A figura 1 mostra como fazer esta prova.

 


Figura 1 – Testando a continuidade da bobina de um relé automotivo (tipo redondo)

Interpretação:
Resistência baixa, variando entre alguns ohms até no máximo algumas dezenas de ohms - enrolamento bom
Resistência infinita - bobina aberta - ruim

 

Leitura = Condição
Muito baixa = Bom
Infinita = Aberta

Observações
a) Nesta prova não se consegue determinar se existem espiras em curto. Para isso temos a prova dinâmica.
b) Esta prova também permite fazer a identificação dos contactos do relé e dos terminais da bobina. Os contactos normalmente fechados devem apresentar uma resistência nula na medida e os da bobina uma resistência muito baixa. Na figura 2 temos o procedimento comparativo para a identificação dos terminais de um relé usando a escala mais baixa de resistências do multímetro.



Figura 2 – Testando e identificando os contatos NA e NF de um relé automotivo.

d)Veja que existem relés eletrônicos dotados de circuitos especiais de disparo para os quais os testes indicados não são válidos. O que ocorre com estes relés é que seu acionamento é feito por um circuito eletrônico para os quais não se têm acesso pois ficam dentro do invólucro vedado.



Prova de Contato - Procedimento
Com esta prova fazemos a identificação dos contatos NA e NF

a)Coloque o multímetro na escala mais baixa de resistências, OHMS x1 ou OHMS x10. Se for digital use as escalas de 200 ou 2000 ohms.
b)Zere o multímetro se for analógico
c)Identifique os terminais de contactos (por eliminação, identificando antes os terminais da bobina)
d)Meça a resistência entre eles de forma combinada.A figura23 mostra como esta prova deve ser feita.

 


Figura 3 – fazendo o teste de contatos de um relé.



Interpretação
Terminais entre os quais a resistência é nula - normalmente fechados ou NF
Terminais entre os quais a resistência é infinita - normalmente abertos ou NA.

 

Leitura = Identificação
Baixa = NF
Infinita = NA

Observação
Veja que temos dois terminais (duas leituras) em que temos resistência infinita e resistência nula. Para uma melhor identificação será necessário fazer o teste dinâmico que é mais preciso.

 

 

Teste dinâmico

Fase 1 - Procedimento
Este teste permite uma determinação melhor dos contatos.
a)Coloque o multímetro na escala mais baixa d eresist6encias, OHMS x1 ou OHMS x10. se for digital use as escalas de 200 ou 2000 ohms.
b)Zere o multímetro se for analógico
c)Ligue os terminais do multímetro nos contactos do relé usando garras conforme mostra a figura 4.

 

Figura 4 – Ligando os terminais do multímetro aos terminais dos contatos do .relé

 

d)Ative o relé pela aplicação de 12 V na sua bobina conforme mostra a figura 5.

 


Figura 5 – Aplicando 12 V num relé para testar seu funcionamento.

Deve ocorrer um pequeno estalido que indica a comutação. Para relés de alta corrente a prova deve ser feita rapidamente e a fonte usada deve ter pelo menos 2 A de capacidade de corrente.

 


Interpretação:
A resistência vai de zero a infinito na comutação - o relé está bom - passe à etapa seguinte.
A resistência não se altera - o relé não está comutando - problemas internos.

 

Fase 2 - Procedimento
Obtida a leitura infinita para o multímetro, procure a posição das garras em que se tenha leitura nula, conforme mostra a figura 6


Figura 6 – Procedimento de teste na Fase 2.


Interpretação
A posição comum da garra para a leitura nula e leitura infinita corresponde ao contacto C (comum)
A posição em que se tem a leitura nula com o relé desenergizado corresponde ao contacto NF (Normalmente Fechado)
A posição em que se tem a leitura nula com o relé energizado corresponde ao contacto NA (Normalmente Aberto).

Leitura = Condição
Comum = Comum
Baixa sem energizar = NF
Baixa energizado = NA


Observação
Podem existir relés com diversos conjuntos de contatos caso em que a identificação é feita por grupos, com o mesmo procedimento. Também é importante que o leitor saiba qual a disposição dos terminais do relé em teste, se bem que, com os procedimentos indicados é possível fazer sua identificação.

Artigos Relacionados

BUSCAR DATASHEET


N° do componente 

(Como usar este quadro de busca)

Opinião

Mês de Muito Trabalho (OP197)

   Estamos em setembro de 2018 e continuamos com nosso trabalho, realizando palestras, viagens, escrevendo artigos, livros e muito mais. Em nossas duas últimas palestras, uma na Uninove e a outra na ETEC Albert Einstein, ambas de São Paulo, pudemos constatar de forma bastante acentuada um fato importante , que constantemente salientamos em nosso site desde seu início. 

Leia mais...

Vencedor
Os que vencem, seja lá de que modo, nunca disso se envergonham. (Coloro Che vincono, in qualche modo vincano, mal non ne riportano vergogno.)
Maquiavel (1469 - 1527) - As Histórias Florentinas - Ver mais frases


Instituto Newton C Braga
Entre em contato - Como Anunciar - Políticas do Site

Apoio Social
Lions Clube de Guarulhos Sul SOS Mater Amabilis
Advertise in Brazil
If your business is Electronics, components or devices, this site is the correct place to insert your advertisement (see more)